Guerra na Ucrânia e Covid-19 na China devem exacerbar pressões inflacionárias, aponta Campos Neto