Governo dos EUA cria série de regras para o mercado de criptomoedas

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Uma das principais críticas de muitos envolvidos no criptomercado é que os órgãos responsáveis por determinar as regulamentações do setor não possuem a clareza necessária sobre o que deve ser feito para se adequar às normas e legislações.

Uma importante atualização regulatória nos EUA criou uma série de regras para companhias de criptomoedas e ativos digitais como uma forma de facilitar e melhorar a regulamentação do setor no país, principalmente em relação às sanções impostas pelos EUA. 

As sanções econômicas são uma das principais táticas dos EUA para exercer o seu poder em outros países. No entanto, não é difícil para pessoas quebrarem essas sanções sem querer, principalmente empresas ligadas ao criptomercado, como aconteceu com o desenvolvedor de Ethereum que foi preso após dar uma palestra na Coreia do Norte. 

Novas regras

De acordo com O Wall Street Journal, agora as companhias do criptomercado possuem um guia de diretrizes para saber como estar de acordo com as sanções dos EUA e evitar quebrarem a lei ou auxiliar aqueles que o fazem.

Essas novas diretrizes surgem como um esforço da atual administração na ameaça do criptomercado como forma de realizar atividades criminosas e financiar organizações sancionadas pelos EUA.

A orientação destaca a importância de:

• Ferramentas de geolocalização para identificar e bloquear endereços IP originários de países sancionados;

• Monitoramento de transações para identificar e investigar transações em moeda virtual envolvendo entidades e indivíduos sancionados;

• Realizar “look-backs” periódicos sobre as transações se a unidade de sanções do Tesouro colocar na lista negra um novo endereço de moeda virtual.

Segundo as informações, o principal foco dessa atual campanha são os ataques de ransomware, que se tornaram um problema grave para as autoridades, após ataques em grandes empresas dos EUA e do mundo todo. Ari Redbord, ex-conselheiro da Secretaria de Tesouro dos EUA, afirmou que essas diretrizes funcionam como uma ofensiva contra os grupos criminosos que atuam com sequestros de arquivos.

“Esse é o começo de um esforço concentrado, uma campanha de choque e pavor contra o ransomware.”, disse Redbord.

EUA e criptomoedas

Na criação das diretrizes para as companhias de criptomoedas, o Escritório de Tesouraria de Controle de Ativos Estrangeiros, utilizou os princípios e práticas que já são utilizadas e são os padrões em outras áreas e setores e as atualizaram especificamente para o setor de moedas digitais.

Entre as diretrizes, as novas regras afirmam que as empresas precisam realizar o monitoramento de transações para investigar e identificar contas suspeitas, realizar também análises retroativas nas transações de seus clientes e utilizar ferramentas de geolocalização para determinar a localização dos investidores e descobrir seus endereços de IP.

O guia de diretrizes se aplica a corretoras do criptomercado, administradores, mineradores, criadores de carteira e outras instituições financeiras com alguma ligação com essa indústria.

Com isso, a regulamentação nos EUA caminha para uma adoção com mais clareza, mas ainda resta a dúvida se um envolvimento tão grande do mercado pode ser beneficial para o setor.





Fonte: R7