Governo de SP adia leilão do Rodoanel Norte devido à ‘grave crise econômica nacional’, diz Artesp | São Paulo


O governo de São Paulo adiou nesta terça-feira (26) o leilão do Rodoanel Norte por causa das “incertezas geradas pela grave crise econômica nacional”, segundo a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). O leilão estava previsto para ocorrer nesta quarta-feira (27).

O trecho Norte do Rodoanel tem 44 km de extensão, cortado pelos municípios de São Paulo, Arujá e Guarulhos. O investimento necessário para a conclusão do trecho, segundo o governo paulista, é de R$ 2,6 bilhões no Capex (despesas para concluir a obra) e de R$ 1,5 bilhão de Opex (despesas de operação do trecho pedagiado).

“A exemplo do que acontece em concessões aeroportuárias e rodoviárias federais e estaduais em todo Brasil, o governo do Estado de São Paulo adiou o leilão de concessão do trecho Norte do Rodoanel devido às incertezas geradas pela grave crise econômica nacional”, diz a Agência.

Os entraves, segundo a Artesp, são a alta inflação da construção civil das últimas duas décadas no Brasil e a alta taxa de juros (Selic).

Em janeiro, o governo de São Paulo havia publicado o edital de licitação para a conclusão do trecho Norte do Rodoanel Mario Covas (SP-021), que tinha previsão de entrega em 2014, mas está parado com as obras paradas desde dezembro de 2018.

Anteriormente, o governador João Doria (PSDB) havia afirmado que as obras ficariam prontas até 2023. Depois, o secretário estadual de Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto, afirmou que a nova previsão é concluir o Rodoanel até agosto de 2025.

O trecho será concedido por 31 anos à iniciativa privada, com previsão de investimentos em R$ 3 bilhões nas cidades de São Paulo, Guarulhos e Arujá.

Governo de SP publica edital de licitação para o trecho Norte do Rodoanel Mário Covas

Governo de SP publica edital de licitação para o trecho Norte do Rodoanel Mário Covas

Por meio de concessão de parceria, o governo fará aporte de investimentos e definirá o valor da tarifa de pedágio, que poderá ser cobrada do usuário. A expectativa é de que o valor seja de R$ 0,14 por quilômetro rodado. O concessionário também poderá obter investimentos de outras formas, como publicidade e serviços.

O objetivo é criar um sistema de pedágio sem praça, com pagamento por meio de “tags” instalados nos carros, ou pagamento posterior por meio de aplicativo.

Obra do Rodoanel — Foto: Reprodução/TV Globo

As obras englobarão os trechos nos km 172 a 000 e 129 a 106, em estágio de construção.

O critério de julgamento das propostas será o de menor contraprestação a ser paga pelo poder concedente à concessionária e o governo exigirá garantias de que a construtora ou consórcio conseguirá acabar a obra.

Em dezembro, foi divulgado o modelo da concessão, que permitirá que quem concluir a obra poderá explora o espaço por meio de pedágio.

O trecho pendente do Rodoanel deve ligar a cidade de São Paulo à rodovia Presidente Dutra e já custou mais de R$ 6,3 bilhões, valor 50% acima do previsto inicialmente segundo o Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Um estudo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), contratado pelo governo de São Paulo, encontrou, em fevereiro de 2020, quase 1.300 as falhas no projeto e na estrutura da construção. Pelo estudo, 59 pontos são considerados grandes falhas construtivas, como erosão em terrenos e estruturas, colunas desalinhadas e infiltrações (veja vídeo abaixo).

Auditoria do IPT identifica 59 grandes falhas construtivas na obra do Rodoanel Norte

Auditoria do IPT identifica 59 grandes falhas construtivas na obra do Rodoanel Norte

A nova concessão do Trecho Norte se dará em lote único e não mais em seis lotes, como aconteceu no passado. A empresa vencedora poderá instalar quatro praças de pedágio ao longo do trecho e explorá-los por 30 anos, segundo o secretário estadual de Transportes e Logística João Otaviano Machado, que participou da audiência pública nesta sexta (28).

No cronograma da Secretaria de Transporte e Logística, a retomada das obras deve se dar no primeiro semestre de 2022 e a cobrança poderá ser feita a partir do 25º mês de concessão do espaço.

As praças de pedágio serão instaladas no entroncamento do trecho Norte com a Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, dois nas proximidades da rodovia Fernão Dias e um no entroncamento com a rodovia Presidente Dutra.

VÍDEOS: Tudo sobre São Paulo e região metropolitana



Fonte: G1