Goiás lança rede móvel 5G voltada para uso no agronegócio, em Rio Verde | Goiás

0
26


O governo de Goiás lançou, na manhã desta quinta-feira (3), a rede de internet móvel 5G para o agronegócio, em Rio Verde, no sudoeste goiano. O serviço vai operar em caráter experimental durante um ano, podendo ser tornar definitivo. O objetivo é incrementar o uso da tecnologia no campo e reduzir custos operacionais.

“Estamos trazendo para Goiás algo inédito no Brasil. Pela primeira vez vamos ter o 5G funcionando dedicado para o agronegócio. É o 5G de verdade”, disse o secretário-geral do governo, Adriano da Rocha Lima.

Conforme o secretário-geral, foi feita uma estação de internet que engloba um raio de 8km, atendendo 200 a 300 quilômetros quadrados de área, na zona rural.

O governo deve fazer ainda nesta quinta-feira uma demonstração de aplicações reais de uso da “Internet das Coisas” – Internet of Things – para o agronegócio por meio da tecnologia 5G, desenvolvida após pesquisas com inteligência artificial.

Entre as aplicações está a demonstração de um drone que é comandado a distância e que tem a função de captar imagens em tempo real e enviar para um dispositivo de inteligência artificial. Conforme o secretário, a inteligência processa as imagens e identifica pragas na lavoura.

“Ao invés de o produtor rural ter de colocar defensivos agrícolas em toda a lavoura, ele vai colocar pontualmente onde está acontecendo a incidência de pragas. Isso dá uma economia de 90 a 95%. Significa que, a cada 1 mil hectares, haverá uma economia de R$ 600 mil no combate”, disse o secretário-geral.

Além disso, também deve ser apresentada uma outra tecnologia que é uma espécie de “carrinho” que também consegue identificar a ocorrência de pragas, calor e problemas na irrigação. “É um carrinho que anda desviando de obstáculos e pega a parte inferior da lavoura. Onde imagens aéreas não conseguem chegar”, explicou o representante.

Como adquirir a tecnologia

O secretário informou ao G1 que para os agricultores usufruírem da tecnologia é preciso apenas contratar o serviço pela operadora de telefonia e ter aparelhos compatíveis que, segundo ele, já são oferecidos pelo mercado.

“Qualquer pessoa, cidadão ou empresário, para ter acesso ao 5G, basta contratar o serviço da operadora e ter um dispositivo que funcione no 5G. Por exemplo, no caso do drone, tem que ter um modem adequado. Aqui, no caso, a operadora que oferece o serviço é a Claro”, informou.

Na cidade, o governo também lançou o Centro de Agricultura Exponencial (Ceagre) e inaugurou o Parque Tecnológico do Instituto Federal Goiano. A respeito das aplicações tecnológicas, o secretário disse que o agricultor, além de comprar seus equipamentos, pode fechar parcerias com o Ceagre para uso e colaboração em pesquisas.

Torres de transmissão de rede móvel 5G voltada para uso no agronegócio, em Rio Verde, Goiás — Foto: Reprodução TV Anhanguera

Veja outras notícias da região no G1 Goiás.

VÍDEOS: últimas notícias de Goiás



Fonte: G1