Gleisi Hoffmann tem cadastro do SUS suspenso por ‘óbito’; deputada afirma que dados foram hackeados | Distrito Federal

0
14


A deputada federal e presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), teve o cadastro no Sistema Único de Saúde (SUS) suspenso após ser classificada como morta, em uma alteração nos dados, em março de 2019. Segundo a assessoria de imprensa da parlamentar, ela só foi alertada sobre o caso após ter suas informações checadas para a vacinação contra a Covid-19.

Imagens do cadastro mostram a informação de suspensão “por motivo de óbito”, em 30 de março. Além da falsa morte, o nome “Bolsonaro” aparece preenchido no campo de apelido (veja abaixo).

Cadastro da deputada Gleisi Hoffmann no SUS é alterado — Foto: rEPRODUÇÃO

Gleisi tomou a primeira dose da vacina contra a Covid-19 em 25 de junho, em um posto no Lago Sul. Segundo a assessoria da parlamentar, nesta segunda-feira (12), ela foi informada por um servidor que deveria corrigir a informação no cadastro antes de tomar a segunda dose, prevista, a princípio, para setembro.

O G1 questionou o Ministério da Saúde e a Secretaria de Saúde do Distrito Federal sobre o caso, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.

Nas redes sociais, a deputada cobrou providências do governo federal e destacou que já se passaram dois anos desde que seu cadastro foi alterado.

A parlamentar ainda se referiu a um “ataque em massa” que teria ocorrido na época. O G1 também questionou o Ministério da Saúde sobre o episódio, mas não obteve resposta.

Deputada Gleisi Hoffmann comenta suspensão de cadastro no SUS. — Foto: Twitter/Reprodução

Em outro caso, em novembro de 2020, a pasta disse que identificou a presença de vírus no sistema interno. O ministério alegou, à época, que o problema afetou a divulgação do balanço de casos e mortes por Covid-19. O MS também disse que havia suspeita de ataque hacker.

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.



Fonte: G1