GameStop: Quem são os amadores enfrentando os ‘tubarões’ de Wall Street no mercado de ações | Economia

0
25


Até o início da pandemia, nunca havia ocorrido a Alex Patton que ele poderia se tornar um operador amador do mercado financeiro. Mas agora, na esteira do frenesi das ações da varejista de jogos GameStop, ele é um improvável veterano dos mercados financeiros.

“Antes da covid, eu não sabia nada sobre investimentos”, disse o engenheiro de segurança cibernética ferroviária de 28 anos, de Londres.

Depois que o mercado de ações sofreu uma forte queda em março do ano passado e afetou sua poupança para aposentadoria, ele decidiu que deveria, como define, “assumir um papel mais ativo na administração do meu dinheiro”.

Com nacionalidades do Reino Unido e dos Estados Unidos, ele não teve dificuldade em abrir uma conta na plataforma de negociação americana Robinhood, que se encontra no centro do caso GameStop (empresa descrita como “varejista falida” e que teve prejuízo nos últimos anos, mas que atraiu mesmo assim um exército de “traders” vindos das redes sociais). E, encorajado por amigos, Alex começou a conferir as discussões na plataforma Reddit.

“Eu pensei: ‘Isso é loucura'”, disse ele à BBC. “Muita gente perdendo muito dinheiro.”

“Não dei muita bola até que meu amigo disse: ‘Você deveria dar uma olhada no GameStop’. E percebi que algumas pessoas no Reddit fazem um trabalho realmente impressionante ao pesquisar essas ações.”

As ações da varejista do mercado de videogames GameStop dispararam nesta semana e os analistas do mercado culpam os jovens traders com experiência em tecnologia por esse resultado.

Os principais fundos de hedge apostaram bilhões de dólares que as ações da GameStop cairiam. E algumas das pesquisas no Reddit indicavam que as posições tomadas por vendedores a descoberto representavam mais de 100% das ações existentes da GameStop, diz Alex.

A chamada venda a descoberto é quando, digamos, um fundo toma emprestadas ações de uma empresa de outros investidores na crença de que o preço das ações vai cair.

O fundo vende as ações nos mercados a, por exemplo, US$ 10 cada, espera até que caiam para US$ 5 e as compra de volta. As ações emprestadas são devolvidas ao proprietário original, e o fundo de hedge embolsa um lucro.

“As pessoas haviam feito pesquisas que mostravam a posição arriscada em que esses fundos de hedge estavam. E pensamos: ‘Podemos explorar isso. Esta é uma oportunidade.'”

Assim, investidores amadores aumentaram o preço das ações em mais de 700% em uma semana.

Alex teve sucesso na operação, investindo US$ 1.000 em ações da GameStop e obtendo lucro de US$ 2.000 em cima disso. Mas ele foi um dos sortudos que saiu a tempo.

“A teoria era que, à medida que o preço continuava subindo, as pessoas que vendiam as ações seriam forçadas a comprá-las a qualquer preço para fechar a venda”, diz ele.

No entanto, à medida que a atividade atraiu a atenção de agências regulatórias nesta semana, os pequenos investidores se viram repentinamente excluídos por suas plataformas de negociação, incapazes de continuar comprando ações da GameStop e de algumas outras empresas.

Esses investidores de menor porte ficaram indignados depois que plataformas de negociação restringiram a compra de ações da americana GameStop e de outras empresas. Os movimentos das plataformas Robinhood e Interactive Brokers vieram depois de dias de negociações frenéticas que levaram a ganhos massivos para algumas ações.

Os preços caíram drasticamente, aliviando os fundos de hedge.

“Eles presumem que nós, investidores de varejo, não podemos administrar nosso risco, enquanto os fundos de hedge assumiram um risco enorme, um risco inacreditável, e eles estão autorizados a continuar seus negócios normalmente”, critica Alex.

Embora Alex tenha saído ileso financeiramente, ele ainda está sofrendo com o que considera uma injustiça.

“Há uma grande lacuna entre as pessoas da classe média, trabalhadoras, e os fundos de hedge que têm bilhões”, diz ele. “Outras pessoas estão sofrendo com isso muito mais do que eu.”

‘Não é um mercado livre’

Myron Sakkas diz que operadores do mercado financeiro como ele estão com raiva — Foto: Arquivo pessoal – Myron Sakkas via BBC

O estudante de 18 anos Myron Sakkas, de Coventry, no Reino Unido, perdeu £ 30 (ou R$ 220) em ações da GameStop, que ele possuiu por “algumas horas” e vendeu quando viu o que estava acontecendo.

Ele tem uma conta na plataforma Trading 212 desde agosto do ano passado e espera trabalhar em bancos de investimentos depois de se formar. Mas, por enquanto, ele está desiludido com o que vê como “manipulação de mercado” dirigida contra pessoas como ele.

Para ele, havia um alvo definido nas guerras de ações da GameStop: como ele diz, “as pessoas que foram responsáveis ​​pela crise financeira de 2008 e nunca foram responsabilizadas”.

“Entendemos que existem riscos, mas não foi um crash (quebra) real. Foi causado por pessoas protegendo interesses corporativos e as pessoas normais perderam novamente. Quando as pessoas comuns tentam ganhar dinheiro em um sistema em que apenas os ricos podem ganhar dinheiro, é o que acontece”, disse ele à BBC.

“Eles apoiam um mercado livre capitalista apenas quando ele funciona para eles. O que vimos hoje não foi um mercado livre e isso forçou uma enorme quantidade de pessoas a perder uma enorme quantidade de dinheiro.”

Myron diz que sua conta foi bloqueada e não pode ser usada enquanto sua identidade está sendo verificada. Mas quando ele tiver acesso novamente, planeja sacar os £ 1.000 (R$ 7,4 mil) que possui e parar.

“Para ser sincero, talvez não negocie na bolsa por um tempo”, diz ele. “Eu tenho outras coisas para fazer.”

‘Precisamos repensar muito nossas estruturas financeiras’, diz Melissa Holdren — Foto: Arquivo pessoal – Melissa Holdren via BBC

Nas redes sociais, investidores reuniram seus colegas operadores, instando-os a manter as ações para evitar mais perdas, enquanto atacavam as plataformas por causa das restrições.

Melissa Holdren, uma enfermeira de 43 anos que mora no Estado de Massachusetts, nos Estados Unidos, ficou irritada com a repressão das plataformas de negociação. Ela usou sua conta na Fidelity, uma grande corretora, para comprar cerca de US$ 500 em ações da AMC Entertainment, que, como a GameStop, teve suas compras de ações restritas por algumas corretoras. Foi a primeira vez que ela fez isso, já que sempre havia contado com grandes empresas para administrar seus investimentos de aposentadoria.

“Acho muito questionável que uma empresa privada possa bloquear unilateralmente as compras de ações”, diz ela. “Não parece certo. Se você está preocupado com a volatilidade do mercado, por que está bloqueando apenas um lado das transações?”

Melissa, cujo avô ganhava a vida como corretor de ações independente, diz que sabe que pode perder dinheiro se as ações da AMC caírem. Mas ela espera que seu pequeno investimento ajude a rede de cinemas AMC a sobreviver, ao mesmo tempo em que ela posiciona contra Wall Street.

“Em geral, precisamos repensar muito nossas estruturas financeiras”, diz ela.

“Depois da quebra de 2008, ficou claro que muito do mercado financeiro estava distante da realidade de uma forma que não acho saudável. Ficar preocupado especificamente com o que está acontecendo no Reddit agora e não se preocupar com esse quadro mais amplo, eu penso que é ilusório.”

Vídeos: Últimas notícias de economia



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui