Feiras de pequenos empreendedores estimulam vendas e conexões; conheça os eventos e como participar | Empreendedorismo

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Pequenos empresários têm focado suas forças nas vendas online. Mas um movimento que gera vendas e também conexão e tem atraído muitas marcas e consumidores: as feiras que reúnem empreendedores, estimulam a economia local e dão mais visibilidade para quem é pequeno.

Durante a pandemia, muitas dessas feiras foram canceladas ou se adaptaram do jeito que deu em formatos virtuais. Mas agora, com a vacinação avançada e a retomada dos eventos presenciais, elas ganham força pelo país.

“Essa retomada era tudo o que precisávamos para o nosso projeto, que sempre foi algo físico, presencial, cheio! Essa volta só eleva ainda mais a gente e os produtores que estão conosco”, comemora Gladys Tchoport, criadora do Jardim Secreto, uma das pioneiras nesse tipo de feira em São Paulo.

Jardim Secreto: vendas e conexão

Expositores na Feira Jardim Secreto, que conta com edição mensal — Foto: Pan Alves

O projeto Jardim Secreto ocupa o espaço público de São Paulo com feiras que reúnem pequenos produtores desde 2013. Gladys Tchoport e Claudia Kievel tocam o projeto, que conta também com uma loja permanente com 70 marcas fixas.

“Tem expositor que consegue manter o fluxo de caixa por três meses com apenas uma participação. E por nosso projeto já estar consolidado no mercado, o empreendedor que participa acaba tendo uma espécie de selo que o valida como uma marca que se preocupa em vários quesitos estabelecidos pela nossa curadoria”, explica Gladys.

Essa curadoria reúne pequenos empresários que vendem trabalhos feitos à mão, como roupas, acessórios, velas, pinturas e comidas. E participar da feira gera muito mais do que vendas.

“A nossa feira dá a oportunidade da troca instantânea com o cliente, ela permite que o pequeno produtor consiga contar a sua história, mostrar os seus processos de produção e criar um laço afetivo que nenhum site proporciona”, conta Gladys.

  • 07/05: Edição da Feira Jardim Secreto em seu formato menor, com 40 expositores, na Santa Cecília.
  • 14/05: Edição Festiva Jardim Secreto, com 150 expositores, no Bixiga. Além dos expositores, terá música, atividades infantis e roda de conversa.

Para essas duas edições, as inscrições para novos empreendedores estão encerradas, mas a Feira na Fortunato acontece todo mês. Os interessados podem acompanhar a abertura mensal das inscrições pelo Instagram do Jardim Secreto: @feirajardimsecreto. Quem quer participar se inscreve em um formulário e passa pela curadoria de Gladys e Claudia.

Loja fixa: R. Fortunato, 129 – Santa Cecilia – São Paulo

Investimento: os empreendedores pagam entre R$ 550 e R$ 900 para participar e contar com toda a estrutura do evento.

Na Laje: feira criativa no Nordeste

Feira Na Laje reúne pequenos produtores da economia criativa de Recife e outras cidades do Nordeste — Foto: Divulgação

Uma feira criativa itinerante que reúne pequenos empresários de Recife e outras cidades do Nordeste na capital pernambucana. A Na Laje é o projeto do casal Bárbara Lima Albuquerque e André Oliveira Bernardo Leite e funciona como uma ponte para os pequenos negócios criativos e o consumidor.

“A feira representa um aumento significativo no faturamento de centenas de pequenos empreendedores. Além das vendas no dia do evento, os artistas e marcas independentes têm a possibilidade no pré e no pós evento de prospectar novos clientes e parcerias que dialogam com a sua proposta”, conta Bárbara.

O Na Laje acontece desde 2018. Foram mais de 25 edições presenciais e 4 virtuais durante a pandemia. E foi justamente durante o período de impossibilidade de realizar os eventos presenciais, que Bárbara e André abriram, em agosto de 2020, uma loja colaborativa.

  • Sete feiras estão previstas até o final do ano, mas ainda sem data definida.

Os organizadores fazem uma curadoria priorizando produtos feitos à mão, inovação da marca, comunicação e sustentabilidade. A cada edição, eles disponibilizam um formulário de cadastro para marcas e artistas interessados. As datas são divulgadas pelo Instagram da Na Laje: @feiranalaje.

Loja fixa: Estrada do Encanamento, 323, loja 2 – Parnamirim – Recife

Investimento: de R$ 270 (sem estrutura de exposição inclusa) a R$ 350 (com estrutura inclusa, sendo mesa, painel, estante ou arara).

Feira Preta: reintegração da identidade preta

Maior festival de empreendedorismo da América Latina voltado para a cultura da população negra — Foto: Divulgação

Criada por Adriana Barbosa há 21 anos, a Feira Preta começou com 40 expositores e hoje capacita mais de 200 empreendedores em cada exposição — e se tornou o maior festival de empreendedorismo da América Latina voltado para a cultura da população negra.

“A Feira Preta começou em um momento em que a questão racial não era um tema no Brasil. Mas, ao mesmo tempo, tinha uma cena muito forte em que a população negra estava ocupando muitos espaços. Uma cena efervescente da cultura negra em que a feira surge inserida em um contexto de reintegração da identidade preta”, conta Adriana.

Para além dos empreendedores negros, a feira também engloba negócios de indígenas, LGBTQIA+ e quilombolas, entre outros empreendedores que apoiam causas ativistas.

  • Novembro: ainda sem data definida, o festival vai acontecer no Memorial da América Latina, com a participação de artistas do Reino Unido e da Colômbia.

Os pequenos negócios que querem fazer parte da feira podem se inscrever pelo Instagram @feirapretaoficial ou no site da Pretahub.

Varia por edição e, caso o festival seja patrocinado, o empreendedor não precisa pagar nada pela inscrição. Mas a média de investimento é de R$ 300 a R$ 1.200, dependo do tamanho do estande escolhido.

Fatto a Femme: empreendedorismo feminino

Edição da Fatto a Femme em Florianópolis, que incentiva negócios de mulheres — Foto: Divulgação

A Fatto a Femme, em tradução livre “Feito por mulheres”, é uma feira de Florianópolis que tem como principal objetivo impulsionar o artesanato e o trabalho manual realizado por projetos femininos. Além disso, a Fatto, como é popularmente conhecida, incentiva os empreendedores que tenham como premissa o consumo consciente.

O projeto, que completa quatro anos em setembro, começou com a união de duas amigas, Ana Paludo e Cris Nora, que sentiram resistência de entrar no mercado de empreendedorismos com foco em produtos naturais.

“A feira é uma celebração feita totalmente por mulheres, desde a criação até a produção final. Mais do que um lugar de empreendedorismos, temos a chance de ter uma troca de experiências com diversas mulheres”, diz Ana Paludo.

  • 07/05 e 08/05: encontro especial de mães no Armazém Rita Maria, com 40 expositores.
  • As feiras acontecem todos os meses, em lugares diferentes e a divulgação é feita todo mês.

As inscrições para as próximas edições estão disponíveis no Instagram @fattoafemme.

Investimento: R$ 270 por dia de participação. A partir do segundo semestre a feira terá “desconto social” com curadorias gratuitas para 10% dos participantes.

Pop Plus: moda e cultura plus size

Edição da feira Pop Plus em São Paulo — Foto: Robson Leandro

Organizada pela jornalista Flávia Durante, a Pop Plus acontece em São Paulo desde 2012 e é a maior feira de moda e cultura plus size da América Latina.

“Muitas vezes, a marca não tem como investir em uma loja ou um e-commerce bem produzido. Eventos como o nosso são muito importantes pra um contato direto desse pequeno empreendedor com seu público e pra aumentar suas vendas”, afirma.

Cada feira reúne empreendedores do setores de roupas, acessórios, gastronomia e arte. Flávia faz uma curadoria intensa nas redes sociais, em outras feiras e em lojas para escolher quem participa. Mas as marcas também podem se inscrever para passarem pela sua avaliação. Agora, a ideia é expandir a feira para cidades do interior de São Paulo.

  • 11/06 e 12/06: cerca de 80 empreendedores no Club Homs, na Bela Vista.
  • 03/09 e 04/09: cerca de 80 empreendedores no Club Homs, na Bela Vista.
  • 10/12 e 11/12: cerca de 80 empreendedores no Club Homs, na Bela Vista.

Donos de marcas autorais podem se inscrever para participar da curadoria de Flávia pelo Instagram: @popplusbr.

Investimento: O valor varia entre R$ 1 mil a R$ 5 mil para 2 dias de evento, de acordo com o tamanho e a localização da estrutura de vendas no evento.





Fonte: G1