Extensão do auxílio emergencial é estratégia até que novo pacote social esteja de pé | Blog Ana Flor

0
8


Um ministro do governo havia afirmado ao blog que o governo tinha batido o martelo para pagar mais duas parcelas, até o final de setembro. Até lá, o governo lançaria um novo pacote social para ampliar e substituir o Bolsa Família.

Mas este não é o único plano do governo na área social para tentar ampliar, até as eleições de 2022, a popularidade do presidente em seu pior momento.

Além de tentar abarcar as milhões de famílias que aguardam a entrada no Bolsa Família, o governo prepara duas outras medidas que focam em uma ajuda para pessoas que estão fora do mercado de trabalho.

Uma dessas medidas reúne os bônus de Inclusão Produtiva (BIP) e de Qualificação (BIQ) para atender cerca de 2 milhões de jovens que precisam ser qualificados para conseguir entrar no mercado de trabalho. O participante seria treinado por um turno, recebendo R$ 275 do governo e R$ 275 da empresa.

Outro programa tem como alvo quem recebe o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e tem condições de voltar ao mercado de trabalho. O BPC é pago a idosos e portadores de deficiência.

Segundo uma fonte do governo, há pessoas que recebem o BPC mas desejariam voltar ao mercado de trabalho, mas não o fazem com receio de ter o benefício cancelado.

Nos estudos da equipe econômica e do Ministério da Cidadania, a ideia seria estimular a volta ao mercado de trabalho que permitisse manter metade do valor do BPC – que hoje é de um salário mínimo.

A equipe econômica estava disposta a pagar mais três meses do auxílio emergencial, mas o Ministério da Cidadania quer lançar o novo Bolsa Família em setembro para que, no último trimestre do ano, o programa já esteja em operação.

O objetivo é entrar em 2022 com um pacote social que impulsione os planos de reeleição de Bolsonaro.

Os custos da nova rodada do auxílio são estimados em R$ 9 bilhões por mês. O governo diz ter uma sobra de R$ 7 bilhões dos recursos extraordinários já autorizados pelo Congresso e precisaria de nova autorização para gastos fora da regra do teto – num valor entre R$ 10 bilhões e R$ 15 bilhões – para bancar todo o pacote até o final deste ano.

Auxílio Emergencial 2021 - entenda as regras da nova rodada

Auxílio Emergencial 2021 – entenda as regras da nova rodada

VÍDEOS: notícias sobre economia



Fonte: G1