EUA recuperam US$ 2,3 milhões em criptomoedas pagos a hackers que atacaram oleoduto da Colonial Pipeline | Tecnologia

0
8


A extorsão foi realizada em maio passado quando a invasão cibernética paralisou completamente um oleoduto da empresa e roubou mais de 100 GB de informações. No início de junho, um ataque similar fez a JBS suspender o funcionamento de unidades nos Estados Unidos, Canadá e Austrália.

Hackers levaram US$ 5 milhões da Colonial

A procuradora-geral adjunta dos EUA, Lisa Monaco, disse que os investigadores apreenderam 63,7 Bitcoins, quantia avaliada em cerca de US$ 2,3 milhões.

O Departamento de Justiça “encontrou e recapturou a maior parte” do resgate pago pela Colonial, disse Monaco.

A Colonial Pipeline afirmou que pagou aos hackers quase US$ 5 milhões para recuperar o acesso ao sistema. Nas últimas semanas, o valor do Bitcoin caiu, sendo negociado por cerca de US$ 36 mil, após atingir US$ 63 mil em abril.

Paralisação causou estado de emergência

O ataque a Colonial Pipeline, a maior rede de dutos do país, levou o governo dos EUA a declarar estado de emergência em algumas regiões.

O sistema atingido transporta mais de 2,5 milhões de barris de óleo por dia, o que corresponde a 45% do abastecimento de diesel, gasolina e querosene de aviação da costa leste dos EUA.

Várias fontes confirmaram que o ataque cibernético foi causado por um grupo de hackers chamado DarkSide, que se infiltrou na rede da Colonial.

Procuradora-geral adjunta dos EUA, Lisa Monaco, durante coletiva de imprensa do Departamento de Justiça, em Washington, nesta segunda (7) — Foto: Jonathan Ernst/Reuters

“Hoje, viramos a mesa no DarkSide”, disse Monaco, referindo-se a um grupo que se acredita ter sido o responsável pelo ataque ao gasoduto.

A invasão causou uma paralisação que durou vários dias, levando a um aumento nos preços do gás, pânico para a compra e escassez pontual de combustível.

Veja dicas para se manter seguro on-line



Fonte: G1