Estratégias na hora do plantio diminuem desperdícios e prejuízos no campo | Nosso Campo

0
8


O Nosso Campo deste domingo (2) visitou uma propriedade em Capão Bonito (SP) que trabalha há mais de 30 anos com o cultivo de hidropônicos, em uma estrutura que ocupa 70 mil metros quadrados. E o que é produzido nesse espaço é para atender principalmente o mercado paulista.

A hidroponia não depende do solo. Tudo é feito por meio de soluções que, além de água, contêm os nutrientes essenciais para o crescimento das plantas.

Luiz Fernando Calderaro conta que, com esse sistema, é possível ter mais controle sobre as plantações, podendo fazer ajustes para acelerar ou desacelerar o desenvolvimento das plantas.

Desde que a pandemia começou, as atividades vêm passando por adaptações. As vendas caíram pelo menos 30% e, para evitar desperdícios, foi preciso investir no plantio programado. Tudo que entra ou sai das estufas é planejado.

A intenção é plantar e colher apenas o necessário para atender à demanda, principalmente nos meses mais frios do outono e do inverno.

Os gastos para manter esse tipo de cultivo e garantir a qualidade da produção refletem no bolso do consumidor. Os hidropônicos estão mais caros esse ano e o mercado cada vez mais competitivo.

(Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 02/05/2021)

Estratégias na hora do plantio diminuem desperdícios e prejuízos no campo

Estratégias na hora do plantio diminuem desperdícios e prejuízos no campo

No ano passado, um pé de alface lisa hidropônica, por exemplo, era vendido a R$ 1,80 e agora, dependendo da negociação, pode chegar a R$ 2,50. Por isso a importância do planejamento para que o interesse pelo produto, mesmo custando mais, não diminua.

O consultor agronômico João Celso Colaço Junior explica que o planejamento deve ser realizado de acordo com o tipo de cultura que o produtor cultiva, respeitando e entendendo os ciclos de cada cultura.

Além do plantio programado, para produzir tudo na quantidade exata e evitar prejuízos, as equipes de outra propriedade visitada trabalham com a rotação de cultura.

Em um espaço muito próximo um do outro são cultivadas várias folhagens, pelo menos 30 variedades como coentro, ora-pro-nóbis e alguns tipos de alface.

Outra vantagem do plantio programado é que os ciclos de produção são menores. Além disso, há menos gastos com água, insumos agrícolas e mão-de-obra na comparação com o sistema de cultivo tradicional. Para muitos consumidores, os hidropônicos também têm diferenciais importantes.

VÍDEOS: veja mais reportagens do programa



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui