Estratégia de entrega de colheita da roça diminui distância entre consumidor e produtor | Nosso Campo

0
12


Toda semana a consumidora Ingrid Nagata Córdoba faz o pedido de legumes e verduras pela internet e recebe tudo assim: na porta de casa. Ela diz que decidiu por esse sistema por conta da qualidade do produto, pela facilidade de pedir pelo site, além da agilidade na hora da entrega.

Com a pandemia e o isolamento social, os produtores contam que os prejuízos aumentaram. O produtor rural Rafael Michelin explica que, com a diminuição no movimento nos mercados e comércios, as vendas também caíram.

Foi quando a Prefeitura de Jundiaí (SP) organizou uma lista com 45 produtores rurais e colocou na internet. Lá, o cliente encontra o que cada produtor produz, o contato e o bairro onde ele fica.

O principal produto do sítio de Rafael sempre foi a uva. São seis mil parreiras em dois hectares. Mas, para atender à demanda que surgiu, ele investiu em hortaliças e legumes.

(Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 23/05/2021)

Estratégia de entrega de colheita da roça diminui distância entre consumidor e produtor

Estratégia de entrega de colheita da roça diminui distância entre consumidor e produtor

Hoje, o produtor rural planta, por mês, 14 mil pés de tomate coquetel e três mil pés de alface, já tendo atendido cerca de 300 clientes.

A família de Rafael chegou a fazer 80 entregas por semana. Para facilitar ainda mais os pedidos, sua esposa, Gabriela Michelin, que trabalha na área de informática como analista de sistemas, decidiu fazer um site para eles com todos os produtos. Ela explica que na página já tem tudo descrito, como dias de entrega e valores. Eles batem o olho no site e já conseguem identificar o que precisam.

Para dar tudo certo e o lucro aparecer, Rafael divide as entregas em dois dias da semana, dependendo da região da cidade. Com tudo pronto, ele mesmo carrega o carro e vai até a casa do cliente. Segundo o produtor, essa entrega direto ao cliente ajuda a criar um vínculo.

Em outro sítio de 80 hectares em Jundiaí vivem Antônio Sestini e a família. A produção de legumes e hortaliças que tem na propriedade era para abastecer o restaurante rural da família, mas, com a pandemia e o movimento bem menor que o normal, Antônio decidiu entrar na lista de produtores para vender tudo pela internet.

Segundo Antônio, quem não conhecia os seus produtos passou a conhecer e quem conhecia acabou descobrindo uma nova forma que a fazenda desenvolveu para atender ao cliente.

O sítio de Antônio hoje tem duas hortas com legumes e hortaliças orgânicos. Como tem dado certo, ele planeja ampliar essa plantação em 10 vezes só para atender diretamente aos consumidores que entram em contato de forma virtual.

Pedido preparado, hora de levar até a casa do cliente e tudo chega bem fresquinho. Para alegria da dona Laura Rizzi Rancoleta, que diz que dessa forma consegue matar um pouco da saudade da roça.

VÍDEOS: veja mais reportagens do programa



Fonte: G1