Estou pagando juros abusivos no meu financiamento, o que devo fazer?

Financiamento é uma modalidade de empréstimo destinada à aquisição de bens específicos como casas e veículos.

São inúmeras as vantagens de um financiamento como segurança, usar o seu FGTS para entrada ou pagamento das prestações, ter um prazo de pagamento estendido.

Porém algumas instituições financeiras utilizam práticas abusivas, e elaboram contratos de empréstimo contendo altas taxas de juros.

E muitas vezes o consumidor percebe que está sendo lesado somente quando já efetuou o pagamento do financiamento por muitos anos.

Por isso vamos te falar o que deve ser feito nesses casos. Continue conosco e saiba mais!

Juros de um financiamento

As taxas de juros são os custos que o empréstimo de dinheiro é pago ao seu tomador como pagamento pelo serviço. 

Dentro dos valores dos juros de um financiamento existem taxas, como:

  • Taxa real: é a taxa de juros nominal que corrigem de acordo com a inflação do período;
  • Taxa nominal: são os juros que vêm informados no contrato;
  • Taxa nominal: são os juros que vêm informados no contrato;

Mas o que acontece é que as instituições financeiras acabam colocando mais taxas do que realmente o consumidor deveria pagar, essas são as taxas abusivas.

Descobri que estou pagando juros abusivos, o que devo fazer?

Primeiramente, para saber se os juros são abusivos, é necessário antes calcular o valor efetivo que está sendo cobrado. Atualmente existem simuladores que realizam o cálculo automaticamente.

O Banco Central, por exemplo, disponibiliza ao público pela internet a chamada Calculadora do Cidadão, ferramenta para fazer esse cálculo Através dela, o cidadão preenche os dados do financiamento e gera o resultado real do financiamento de acordo com os juros.

Se você detectou que está pagando juros abusivos, é possível abrir uma Ação Revisional de Juros. Com ela, o contratante do empréstimo ajusta a taxa de juros de acordo com o Banco Central.

Para que a revisão de financiamento aconteça, o contratante precisa recorrer à Justiça Comum ou ao Procon.

Posso mudar de banco no meio do financiamento?

Sim, você pode mudar de banco mesmo com um financiamento em aberto. A portabilidade de financiamento imobiliário permite que seja transferido o financiamento de um imóvel que está em uma instituição financeira, para outro banco que garanta melhores condições.

A portabilidade de financiamento imobiliário pode ser um bom negócio, porém é preciso ficar de olho nas vantagens e desvantagens.

Vantagens:

  • Possibilidade de reduzir o valor das parcelas do financiamento com as quedas de juros;
  • Ter mais chances de melhorar as condições para pagamento do crédito imobiliário;
  • Investir o dinheiro economizado em melhorias para a residência ou realizar outros investimentos financeiros;
  • Mais liberdade para comparar, pesquisar e escolher qual a melhor instituição financeira para a qual você deseja realizar a portabilidade;
  • Não será obrigatório abrir uma conta no banco, independentemente do banco selecionado.

Desvantagens:

  • Arcar com os custos de cartório, uma vez que será realizado um novo contrato de alienação fiduciária, ou seja, realizar a transferência do bem com confiança;
  • O banco receptor da portabilidade do imóvel financiado, pode solicitar uma reavaliação do imóvel com valores atualizados. Isso pode se tornar um ponto crucial e tornar a negociação desvantajosa;
  • Um contrato que está prestes a ser encerrado pode não compensar, uma vez que o cliente já pagou grande parte dos débitos. Sendo mais vantajoso renegociar o restante da dívida com o banco em que o financiamento se encontra;
  • Não encontrar uma outra instituição financeira com taxa de juros mais atrativa no mercado.

Fonte: Jornal Contábil