Energia solar deve minimizar perdas de produtores de leite em Goiás | Globo Rural

0
22


Um projeto de instalação de energia solar em 28 fazendas na cidade de Bela Vista de Goiás (GO), deve ajudar os produtores de leite a minimizar perdas.

A região, que possui uma das principais bacias leiteiras do estado, sofre com quedas constantes de energia elétrica que prejudicam a produção.

Sem energia, os tanques de resfriamento, ordenhadeiras e outros equipamentos não funcionam bem. E o leite parado nos tetos é um prato cheio para a mastite, uma inflamação na mama das vacas, que contamina o leite e causa desconforto no animal.

Além disso, com o leite acumulado, o corpo entende que está sobrando e as vacas passam a produzir menos.

“Nós tivemos aqui 26 horas sem energia e perdemos o leite. Não perdemos totalmente porque a cooperativa deu conta de socorrer e pegar. Mas as vacas caíram a produção e, até hoje, a gente está tentando voltar à produção que estava e o problema de mastite“, conta o produtor e veterinário Gercimon Benedito Gomes.

Ele é da Fazenda Saturno, uma das propriedades onde estão sendo instalados equipamentos de geração de energia pela empresa de distribuição de energia Enel.

A instalação atende a uma antiga reivindicação da Cooperativa dos Produtores de Bela Vista de Goiás (Cooperbel). Em dezembro, criadores chegaram a realizar protestos na sede da Enel por causa das quedas de energia.

O projeto de eficiência energética consiste na instalação de 16 placas solares, 20 baterias para o armazenamento de energia excedente e um sistema de aquecimento solar da água usada na limpeza do tanque e equipamentos de ordenha.

No kit também estão incluídas a troca de lâmpadas incandescentes ou fluorescentes por lâmpadas LED econômicas, que duram mais. Além da substituição da geladeira antiga por outra nova, com o intuito de reduzir o consumo de energia.

No total, o investimento da Enel será de R$ 10 milhões, inicialmente.

Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima.

VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural



Fonte:G1