Empresas com ações na B3 perdem R$ 800 bi de valor de mercado em 3 meses e total fica abaixo de R$ 5 tri | Economia

0
8


Entre os dias 7 de junho e 20 de setembro, o valor de mercado de todas as 412 empresas com ações na B3 foi reduzido em cerca de R$ 800 bilhões, ficando abaixo de R$ 5 trilhões pela primeira vez em seis meses. É o que aponta um estudo realizado pela Economatica obtido com exclusividade pelo g1.

De acordo com o levantamento, no dia 17 de setembro o valor de mercado de toda a bolsa brasileira era de R$ 4,99 trilhões – foi a primeira vez desde o dia 7 de abril que ele ficou abaixo de R$ 5 trilhões.

Já no dia 20 de setembro, a soma de valor de mercado das empresas listadas na B3 caiu ainda mais, para R$ 4,87 trilhões, o mais baixo desde 29 de março, quando somava R$ 4,93 trilhões.

O maior valor de mercado da B3 em 2021 foi alcançado no dia 7 de junho, quando chegou a R$ 5,67 trilhões. Ou seja, entre 7 de junho e 20 de setembro, o valor de mercado da bolsa brasileira sofreu uma queda de 14,1%.

Ibovespa concentra 83,4% de toda a B3

Ainda segundo a Economatica, em setembro, o Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, concentra 83,4% de todo o valor de mercado da B3. Sua carteira conta com 87 dentre as mais de 400 empresas com ações negociadas e soma R$ 4,11 trilhões.

Embora seja o principal índice, o Ibovespa ficou na quinta posição dentre os cinco mais representativos por valor de mercado.

No topo do ranking ficou o índice Brasil (IBRA), que atualmente conta com 203 ações de 192 empresas, somando R$ 4,60 trilhões de valor de mercado.



Fonte: G1