Empresa de Elon Musk mostra vídeo de macaco jogando videogame com a mente | Inovação

0
11


A Neuralink, empresa do bilionário Elon Musk que desenvolve tecnologias de interação entre cérebro e máquinas, publicou um vídeo em que um macaco aparentemente joga videogame com a mente.

As cenas mostram o macaco Pager, de 9 anos, que recebeu implante de um chip no cérebro cerca de seis semanas antes da gravação, controlando game ‘Pong’ mesmo com controle desligado.

A divulgação do material desse tipo não foi feita da forma como é comum no meio científico. Geralmente, o vídeo é acompanhado de um artigo revisado por pares em revistas científicas, o que não aconteceu.

Pager foi ensinado a jogar videogame com um controle, enquanto era recompensado por uma vitamina de banana.

Enquanto fazia isso, um dispositivo da Neuralink gravou informações sobre a atividade dos neurônios do macaco através do chip implantado em seu crânio, segundo a empresa.

O dispositivo contém mais de 2000 eletrodos implantados nas regiões do córtex motor de Pager, responsáveis pela coordenação dos movimentos das mãos e braços.

Os dados foram colocados em um “algoritmo decodificador” para prever os movimentos das mãos pretendidos por Pager em tempo real.

Após calibrar o decodificador, a Neuralink disse que o macaco foi capaz de usá-lo para mover o cursor, em vez de utilizar o controle do videogame.

As cenas mostram Pager jogando com o controle desconectado.

Outra demonstração da Neuralink

Em agosto passado, a Neuralink descreveu o seu implante cerebral como um chip com cerca de 8 milímetros de diâmetro (menor que a ponta de um dedo).

O dispositivo consiste em uma pequena sonda que contém mais de 3 mil eletrodos conectados a fios flexíveis e mais finos que um fio de cabelo humano e é capaz de monitorar a atividade de mil neurônios cerebrais.

Em uma demonstração, um computador exibiu a atividade cerebral de um porco que recebeu o implante, que depois foi retirado e não causou nenhuma modificação motora no animal.

No Twitter, Elon Musk afirmou que o trabalho da companhia vai permitir que pessoas com paralisia utilizem um celular com a mente “mais rápido do que alguém com os dedos.

Ele também mencionou a possibilidade de ajudar paraplégicos a voltarem a andar com o envio de sinais para neurônios responsáveis por respostas motoras.





Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui