Em meio à pandemia, Brasil abriu 2,3 milhões de empresas a mais do que fechou em 2020, diz ministério | Economia

0
66


O Ministério da Economia informou nesta terça-feira (2) que 3,359 milhões de empresas foram abertas no Brasil no ano passado e 1,044 milhão foram fechadas. Assim, o país registrou um saldo positivo de 2,315 milhões de novos negócios abertos no período.

Segundo o governo, o número de empresas abertas no ano passado foi o maior desde início da série histórica, em 2010.

Os dados estão no Mapa de Empresas, ferramenta digital do Ministério da Economia para acompanhamento de dados sobre registro empresarial no Brasil.

Abertura e fechamento de empresas no país

Em milhões

Fonte: Ministério da Economia

Esse crescimento ocorreu em meio à pandemia do novo coronavírus, que gerou recessão na economia brasileira e tombo estimado de mais de 4% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020.

“Os dados demonstram o empenho dos órgãos federais, estaduais e municipais na implantação de melhorias para tornar o ambiente de negócios mais dinâmico no país, tanto que o tempo de análise dos pedidos de abertura de novos negócios caiu consideravelmente em 2020”, informou o Ministério da Economia.

“Os números demonstram que a economia tem reagido bem mesmo no cenário de pandemia, conforme indicam os dados do registro histórico de abertura de empresas no Brasil em 2020”, acrescentou o governo federal.

Aumento da população ocupada mostra interrupção na piora da taxa de desemprego
Aumento da população ocupada mostra interrupção na piora da taxa de desemprego

3 min Aumento da população ocupada mostra interrupção na piora da taxa de desemprego

Aumento da população ocupada mostra interrupção na piora da taxa de desemprego

O país tinha 14 milhões de desempregados no trimestre encerrado em novembro, segundo a PNAD do IBGE.

Em 2019, por exemplo, foram abertas 3,17 milhões de empresas e foram fechadas 1,18 milhão.

De acordo com o Ministério da Economia, o tempo para abertura de empresa no Brasil era, em média, de 2 dias e 13 horas no final de 2020. Em relação ao verificado ao final de 2019, houve uma redução de 1 dia e 22 horas (43%) no prazo.

Segundo o Ministério da Economia, o processo de abertura de empresas ainda não disponibiliza respostas de forma automática para todas as etapas, dependendo de interações humanas que ficaram prejudicadas, tendo em vista a paralisação ou redução das atividades devido à pandemia.

Microempreendedores individuais

De acordo com dados do Ministério da Economia, o país possuía, no fim do ano passado, 19,9 milhões de empresas abertas no país, das quais 11,2 milhões eram de microempreendedores individuais (MEIs) – 56,6% do total.

Segundo a subsecretária de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas, Empreendedorismo e Artesanato do Ministério da Economia, Antonia Tallarida, muito empreendedores têm optado, ao abrir seus negócios, pelo modelo do microempreendedor individual, que tem menos burocracia e paga menos impostos.

“Mais de 2,6 milhões de MEIs foram abertos em 2020, o que reforça a importância dos pequenos negócios para o país, além de eles serem um dos pilares da retomada após a Covid-19. A abertura de MEIs cresceu 8,4% quando se compara com 2019, e supera a taxa de abertura total de empresas, que cresceu 6% [no ano passado]. A abertura de MEIs tem elevado a taxa total de empresas abertas”, explicou Tallarida.

Vídeos: assista a mais notícias sobre economia



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui