Em dia de baixa liquidez, dólar comercial fecha em alta de 0,60% | Economia

0
14


Em dia baixa liquidez por causa do feriado do aniversário de São Paulo, que fechou a B3 e limitou os negócios às operações de balcão, o dólar comercial teve alta moderada, de 0,60%, a R$ 5,5125.

Após iniciar o dia em baixa, o mercado de câmbio local acabou seguindo o movimento mais amplo do exterior, onde o dólar se fortalece contra a maior parte das divisas emergentes. No horário de fechamento no Brasil, o dólar subia 1,71% contra o peso mexicano, 0,88% ante o peso mexicano, e 0,91% na comparação com o rand sul-africano. Já o índice DXY da ICE avançava 0,18%, aos 90,52 pontos.

Já a taxa Ptax, calculada pelo Banco Central, terminou o dia cotada a R$ 5,2089. O nível equivale a uma alta diária de 1,45% sobre o fechamento de sexta-feira.

O dia ficou marcado pela repercussão da saída do presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Jr. A renúncia do executivo elevou preocupações sobre o programa de privatizações do governo brasileiro e fez o recibo de ações da estatal recuar mais de 10% em Wall Street.

Já o EWZ, principal fundo de índices de ações brasileiras negociado em Nova York, o EWZ, cedia 1,54% no horário acima.

Com a alta das expectativas de inflação ganhando corpo nos Estados Unidos, o Morgan Stanley acredita que o momento mais benigno para as moedas emergentes já ficou para trás. Essa mudança de cenário, combinada com fatores locais, significou uma revisão de neutra para “negativa” em relação à perspectiva da moeda local.

Eletrobras comunica renúncia de Wilson Ferreira Júnior do cargo de presidente da empresa

Eletrobras comunica renúncia de Wilson Ferreira Júnior do cargo de presidente da empresa

“Mudamos de visão sobre o real e esperamos que a moeda tenha performance abaixo de seus pares regionais nas próximas semana”, afirmam os estrategistas do banco. “Um dólar global mais neutro, progresso bastante lento no front da vacina e perspectiva de mais lockdowns devem pesar sobre o ativo. Além disso, o ruído fiscal deve crescer após a eleição dos presidentes da Congresso, quando os mercados deverão voltar a focar mais na reforma tributária”, dizem os estrategistas do banco.

Com isso, a equipe do banco americano encerrou uma aposta no real contra o peso colombiano e abriu outra, apostando na alta da volatilidade da moeda brasileira, através de opções.

VÍDEOS: Últimas notícias de Economia



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui