Economia dos Estados Unidos deve receber estímulo imediato, diz Biden | Economia

0
7


O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta segunda-feira (16), após reunião com dirigentes sindicais e patronais, que a economia americana precisa de um estímulo “rapidamente” para enfrentar os efeitos da crise sanitária provocada pela pandemia de covid-19.

Ele também indicou que os mais ricos e as maiores empresas do país devem “pagar sua cota justa” em impostos.

Biden em discurso nesta segunda-feira — Foto: Reuters

Um novo plano de estímulo, afirmou, é crítico para ajudar a economia em meio a um aumento das infecções por covid-19, admitindo que as coisas ficarão “mais difíceis”.

Biden antecipou que seu plano econômico criará três milhões de “trabalhos bem remunerados” e que elevará o salário mínimo a US$ 15 a hora.

“Nosso plano é criar milhões de vagas de trabalho bem remuneradas na indústria, na construção de automóveis, produtos, tecnologia, que precisaremos no futuro para sermos competitivos com o resto do mundo”, disse, ao discursar em Wilmington, Delaware, seu reduto político.

Biden expressou frustração com a recusa até o momento de Donald Trump em cooperar no processo de transição da Casa Branca, dizendo que “mais pessoas podem morrer” sem uma coordenação imediata no combate à pandemia.

Perguntado por jornalistas sobre a maior ameaça da obstrução de Trump a uma transição tranquila do poder, Biden chamou atenção para os riscos inerentes aos surtos do novo coronavírus.

“Mais pessoas podem morrer se não coordenarmos” em questões como a distribuição de vacinas contra a covid-19 o mais rapidamente possível.

“Se tivermos que esperar até (o dia da posse) 20 de janeiro para começar esse planejamento, isso nos atrasará em um mês, um mês e meio”, disse Biden.

“E, portanto, é importante que haja coordenação agora – agora ou o mais rápido possível”.

Vídeos: Últimas notícias de economia



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui