Dono da Louis Vuitton, Bernard Arnault passa Jeff Bezos novamente como homem mais rico do mundo | Economia

0
28


O francês Bernard Arnault, diretor-executivo do grupo LVMH (Louis Vuitton Moët Hennessy), tornou-se novamente o homem mais rico do mundo nesta segunda-feira (7), segundo o ranking de bilionários da revista Forbes.

O dono do grupo que reúne marcas de luxo, como Louis Vuitton e Dior, acumula fortuna de US$ 191,1 bilhões. O empresário de 72 anos ultrapassa, assim, o fundador da Amazon, Jeff Bezos, que detinha o posto de liderança com US$ 186,2 bilhões.

É a segunda vez que Arnault assume a ponta do ranking da Forbes. O mesmo aconteceu no fim de maio, mas o francês foi logo ultrapassado por Bezos. O americano reassumiu a ponta no mesmo dia.

A variação aconteceu tão rápido porque a Forbes mede a fortuna estimada de acionistas das grandes empresas ao redor do mundo. A variação da cotação das ações, portanto, impulsiona e derruba o patromônio de bilionários muito rapidamente.

Inclusive, como as bolsas de valores europeias abrem mais cedo que as americanas, a fortuna de Arnault se move primeiro. Foi o que aconteceu no dia 24 de maio: depois da abertura de mercado nos EUA, o fundador da Amazon já estava de volta ao topo do ranking com a valorização da empresa no pregão.

Ainda assim, o evento foi um marco. De acordo com a Forbes, foi primeira vez que um europeu alcançou o topo da lista da Forbes desde outubro de 2015, quando o espanhol Amancio Ortega, do grupo Inditex, dono da Zara, ultrapassou o líder Bill Gates.

Jeff Bezos — Foto: Reuters/Joshua Roberts/File Photo

Bernard Arnault, CEO do grupo LVMH, em foto de janeiro de 2020 — Foto: Thibault Camus/AP/Arquivo

A Louis Vuitton é apenas uma das 70 marcas do poderoso império do francês Arnault, a LVMH, que inclui ainda nomes como Sephora e a joalheria Tiffany’s, que ele adquiriu em janeiro deste ano por US$ 15,8 bilhões, no que a Forbes considerou a maior compra de uma marca de luxo até hoje.

Nascido em 1949 em uma família de pequenos industriais, Arnault nunca foi exatamente pobre, mas multiplicou inúmeras vezes os US$ 15 milhões iniciais que conseguiu de seu pai, um construtor, para investir em seu próprio negócio. Com esse dinheiro, ele comprou a grife Christian Dior, sua primeira marca. Ainda hoje, a Dior é a principal holding da LVMH.

A ela, porém, se somam outros grandes nomes da moda como Fendi, Givenchy, Marc Jacobs e Kenzo, entre outros. E o grupo reúne ainda marcas de relógios, acessórios e bebidas, como Bulgari, Tag Heuer, Moët&Chandon, Veuve Clicquot e Dom Pérignon, citando alguns. Em 2019, adquiriu o grupo Belmond, dono de 46 hotéis, trens e cruzeiros fluviais.

Bernard Arnault tem cinco filhos, e quatro deles – Frédéric, Delphine, Antoine e Alexandre – trabalham com o pai. Em 2012, ele se naturalizou cidadão belga, embora atualmente viva em Paris.

O empresário dedica parte de sua fortuna ao patrocínio de uma série de projetos de incentivo às artes e, em 2019, doou US$ 11 milhões para auxiliar o combate aos incêndios na Amazônia. Durante a pandemia de Covid-19, parte da produção de perfume e bebidas alcoólicas de marcas do grupo foram convertidas em produção de álcool gel, e 12 toneladas do produto foram doadas a hospitais da capital francesa.



Fonte: G1