Dólar sobe e fecha a R$ 5,42 nesta sexta-feira

0
20



Na semana, a moeda norte-americana acumulou leve alta de 0,30%. Nota de US$ 5 dólares
REUTERS/Thomas White
O dólar fechou em alta em nesta sexta-feira (13), acima de R$ 5,40, refletindo a aversão a risco no exterior depois de dados decepcionantes da China, enquanto os investidores seguiam de olho na cena política local.
A moeda norte-americana subiu 1,17%, a R$ 5,4293. Na máxima da sessão, chegou a R$ 5,4411. Veja mais cotações.
Na semana, o dólar subiu 0,30%. No mês, passou a acumular alta de 4,07%, e no ano, de 35,40%.
Datafolha: Jair Bolsonaro está com a melhor avaliação desde que começou o seu mandato
Cena local e externa
Na China, as vendas no varejo na China recuaram em julho contrariando as expectativas de aumento, enquanto a recuperação do setor industrial mostrou dificuldades em ganhar ritmo.
Mesmo depois do fim de um estímulo emergencial que fornecia pagamentos semanais a norte-americanos desempregados, a Casa Branca e os democratas do Congresso dos EUA seguem brigando sobre os termos de um novo pacote de ajuda econômica, uma vez que o governo Trump não quer aprovar financiamento para que as eleições no país sejam feitas pelos correios.
No exterior, diante desse cenário, o dólar operou em leve queda contra uma cesta de moedas , mas registrando perdas menos acentuadas do que as registradas nos últimos dias.
No Brasil, o índice de atividade do Banco Central (IBC-Br), considerado uma prévia do PIB (Produto Interno Bruto), cresceu 4,89% em junho sobre maio, mas acumulou contração de 10,94% no 2º trimestre frente aos três meses anteriores.
Na noite da véspera, pesquisa Datafolha divulgada pelo jornal “Folha de S.Paulo” mostrou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) atingiu sua melhor avaliação desde o início do mandato. De acordo com o levantamento, 37% consideram o governo ótimo ou bom e 34% acham ruim ou péssimo.
Os investidores seguem atentos a Brasília e as discussões em torno do orçamento de 2021, principalmente após Bolsonaro afirmar na véspera que o governo respeita o teto dos gastos e quer a responsabilidade fiscal. Na noite desta quinta, porém, o presidente reconheceu, que há debates no governo sobre “furar” a regra do teto de gastos públicos.
A incerteza política doméstica, aliada a um ambiente de juros extremamente baixos e uma crise econômica causada pela pandemia de coronavírus, é apontada por analistas como um dos fatores de pressão sobre o dólar, que chegou a níveis recordes próximos de R$ 6 em 2020.
A projeção para a taxa de câmbio no fim de 2020 permanece em R$ 5,20, segundo a última pesquisa Focus do Banco Central. Para o fechamento de 2021, ficou estável em R$ 5 por dólar.
Atuação do Banco Central
O Banco Central dará início na próxima segunda-feira à rolagem de contratos de swap cambial tradicional com vencimento em outubro, em decisão anunciada na quarta-feira após o BC retomar ofertas líquidas desses ativos pela primeira vez em cerca de três meses diante da pressão na taxa de câmbio.
Variação do dólar em 2020
Economia G1


Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui