Dólar opera em queda com exterior e cena política no radar | Economia

0
12


O dólar opera em queda nesta quinta-feira (8), negociado perto de R$ 5,60, devolvendo a alta da véspera, em cenário de maior otimismo global após o banco central dos Estados Unidos reforçar expectativas de manutenção de farta liquidez, o que beneficia países emergentes como o Brasil.

Às 9h23, a moeda norte-americana caía 0,71%, cotada a R$ 5,6003. Veja mais cotações.

Na quarta-feira, o dólar fechou em alta de 0,74%, a R$ 5,6404. Na parcial do mês, acumula alta de 0,23%. No ano, o avanço é de 8,74%.

Em jantar, empresários pedem a Bolsonaro para acelerar vacina

Em jantar, empresários pedem a Bolsonaro para acelerar vacina

No exterior, os investidores aguardam a divulgação de novos dados de auxílio-desemprego nos Estados Unidos, enquanto a sinalização de que o Federal Reserve (Fede, o banco central dos EUA) não tem pressa para apertar a sua política monetária sustentava o clima de maior otimismo.

Na cena doméstica, as atenções seguem voltadas para as preocupações torno da saúde das contas públicas, do ritmo da vacinação contra o coronavírus e de declarações do presidente Jair Bolsonaro entendidas como ameaça de intervenção na Petrobras.

O BTG Pactual, por exemplo, informou que aumentou a sua projeção para a taxa de câmbio para R$ 5,40 no final de 2021 e para R$ 5,60 em 2022, citando maior risco fiscal e agravamento da pandemia.

Bolsonaro afirmou nesta quarta que o aumento do preço do gás anunciado pela Petrobras nesta semana, de 39%, é “inadmissível” e, apesar de dizer que não irá interferir na estatal, afirmou que a política de preços da empresa pode mudar. Na noite, jantou com 25 empresários em São Paulo e ouviu cobrança por reformas estruturais.

A Petrobras informou em nota que indagou o seu acionista controlador, por meio do Ministério de Minas e Energia, sobre a existência de informações relevantes que deveriam ser divulgadas ao mercado em razão das declarações de Bolsonaro e que “até o momento, a companhia não recebeu resposta do MME”.

Na agenda de indicadores, o Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) da Fundação Getulio Vargas caiu pelo terceiro mês seguido, atingindo o menor nível desde agosto de 2020. Já o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que a produção industrial registrou queda em 10 das 15 regiões pesquisadas na passagem de janeiro para fevereiro.

Apesar das incertezas políticas e econômicas, alguns gestores têm considerado os preços do dólar esticados, o que aumenta as chances de alguma correção, especialmente num momento de perspectiva de elevação da taxa básica de juros no país.

Variação do dólar em 2021 — Foto: Economia G1



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui