Dólar fecha em alta após três quedas seguidas com mercado à espera de nova sinalização do Fed | Economia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

O dólar fechou em alta nesta terça-feira (24), depois de três dias seguidos de queda, um dia antes de o banco central norte-americano emitir nova sinalização de política monetária.

A moeda norte-americana avançou 0,16%, a R$ 4,8123. Veja mais cotações.

Na segunda-feira, o dólar fechou em queda de 1,41%, a R$ 4,8044. Com o resultado desta terça, acumula queda de 2,63% no mês. No ano, tem desvalorização de 13,68% frente ao real.

Entenda o que faz o dólar subir ou descer

O que está mexendo com os mercados?

Na cena externa, o mercado aguarda a divulgação da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve (banco central dos EUA), ocorrida em 3 e 4 de maio e que resultou em aumento de 0,50 ponto percentual na taxa básica de juros pelo Fed, maior alta em 22 anos. Investidores buscam sinalizações sobre os próximos aumentos de juros, o ritmo e os planos para o balanço do Fed, num momento em que os mercados sentem o peso do aperto da política monetária.

Na agenda de indicadores, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) – considerado uma prévia da inflação oficial do país – desacelerou para 0,59% em maio, mas atingiu 12,20% em 12 meses, acima das expectativas do mercado.

Para a Capital Economics, o novo aumento da inflação brasileira corrobora a visão de que haverá outros 0,75 ponto percentual de alta no atual ciclo de aperto monetário, com a Selic subindo para 13,50%.

Os investidores reagiam também ao anúncio de mais uma troca no comando da Petrobras em meio a progressiva elevação do preço dos combustíveis. O Ministério de Minas e Energia anunciou em nota oficial na noite desta segunda-feira (23) a demissão de José Mauro Ferreira Coelho, após 40 dias no cargo. Ele foi o terceiro presidente da estatal no governo Jair Bolsonaro.

Presidente da Petrobras é demitido após ficar apenas 40 dias no cargo

Presidente da Petrobras é demitido após ficar apenas 40 dias no cargo

Fonte:G1