De mil plantas no apartamento a ‘floresta’ na comunidade: como é a vida dos donos de ‘urban jungle’ | Agronegócios

0
28


Conhecido como “urban jungle“, um estilo de decoração com muitas e muitas plantas dentro de casas e apartamentos acabou virando moda em postagens no Instagram. A tentativa de trazer a “selva” para dentro de espaços pequenos ganhou força na pandemia.

Mas qual será o limite para esses “loucos por plantas”? E como começar a sua? Fica caro? Para responder a essas perguntas, o G1 conversou com quem aderiu à onda na pandemia e quem já tinha a casa “verde” bem antes disso. Assista ao vídeo acima.

Samuel Gonçalves teve sua primeira planta aos 12 anos “Eu acabei ganhando de presente de uma cliente da minha mãe, que tinha uma lanchonete. Ela deu 12 folhinhas, olha que curioso: eu tinha 12 anos; 12 folhinhas brotadas de uma suculenta”, relembra o mineiro de 43 anos, morador de Belo Horizonte.

Foi tanto amor às plantas que Samuel se formou biólogo e fez doutorado em botânica na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Em seu apartamento, ele vive com o marido, dois gatos e mais de 1.200 plantas (veja no vídeo acima). É uma coleção de dar inveja, com plantas vistosas e até raras.

“Olha só, eu parei de contar”, diz Samuel. “Eu sei, gente, que é uma quantidade absurda de plantas, mas eu amo demais e me dedico a elas.”

Ele dedica pelo menos 1 hora por dia para cuidar das plantas. E vai além: buscando levar a divulgação científica para um público mais amplo, ele conta sua rotina nas redes sociais há mais de 3 anos. Seu canal “Um botânico no apartamento” possui mais de 410 mil inscritos no YouTube.

O botânico Samuel Gonçalves vive em um ‘Urban Jungle’ em Belo Horizonte — Foto: Brendo Paulo Reis/Arquivo pessoal

A padeira Isabella Maria, de 27 anos, também tem uma paixão por plantas que começou na infância. Ela cresceu na zona rural de Magé, município da região metropolitana Rio de Janeiro, “no meio de planta, no meio de mato e cachoeira”, relembra.

A mudança para a Ilha do Governador, na capital, foi para ficar mais perto do trabalho e da faculdade. “Eu sentia muita falta de alguma coisa e eu não entendia bem o que que era”, explica Isabella, que vive na comunidade da Praia da Rosa.

Isabella Maria vive em um ‘floresta’ na comunidade da Praia da Rosa, na Ilha do Governador, no Rio — Foto: Isabella Maria/Arquivo Pessoal

Em um determinado momento, a revelação veio. “As plantas! Eu sinto falta de estar perto da natureza e tudo mais. Aí eu comecei a trazer isso para dentro de casa”, diz. E uma coleção que era consideravelmente pequena, de 12 plantas, triplicou durante a pandemia.

“Vendo que não ia passar logo [a pandemia], eu fui acumulando ainda mais. Talvez, nesse anseio de ambientar, de se sentir pertencente, de estar em um lugar confortável que você sinta que está realmente em casa”, conta Isabella.

Urban Jungle também chegou às comunidades no Brasil, como na casa de Isabela — Foto: Isabella Maria/Arquivo pessoal

O que é uma ‘urban jungle’?

O botânico Samuel Gonçalves explica, no vídeo abaixo, como surgiu o conceito “urban jungle” e como ele se tornou um estilo de vida:

Entenda o que é uma urban jungle

Entenda o que é uma urban jungle

5 dicas para começar a sua

Quem se empolgou com a ideia de ter uma coleção de plantinhas em casa pode seguir as dicas a seguir:

5 dicas para ter uma urban jungle barata

5 dicas para ter uma urban jungle barata

Veja também como manter suas plantas saudáveis:

Plantas em casa: veja 6 dicas para que fiquem saudáveis

Plantas em casa: veja 6 dicas para que fiquem saudáveis

Samuel dedica no mínimo uma hora de seu dia para cuidar de suas plantinhas — Foto: Brendo Paulo Reis/Arquivo pessoal



Fonte: G1