Criptomoedas não são uma ameaça, mas estamos de olho, diz Banco Central do Canadá

0
13


As criptomoedas não são um risco para a economia, mas nós estamos acompanhando este mercado de perto, disse Paul Beaudry, vice-presidente do Banco Central do Canadá ao responder uma pergunta sobre criptomoedas em evento online nesta terça-feira (23).

Embora sua apresentação tivesse como foco o setor imobiliário no Canadá, no qual Beaudry apresentou suas preocupações, o assunto das criptomoedas veio a tona conforme algumas pessoas questionaram o tema.

Além de Bitcoin, sua fala também abordou a diferença entre criptomoedas e stablecoins. Segundo Beaudry estas últimas apresentam um maior risco para a economia à medida que podem ser mais usadas como meio de pagamento. Vale lembrar que stablecoins são emitidas por entidades que podem ser facilmente barradas, ao contrário do BTC que é totalmente descentralizado.

Banco Central do Canadá mantém sua posição, bitcoin não é moeda

Ao ser questionado se as criptomoedas e criptoativos são um risco e qual a sua relevância, o vice-governador do Banco Central do Canadá (BCC) reforçou a opinião emitida pelo BCC no começo deste mês, de que o Bitcoin não é moeda digital e as pessoas não o usam.

Além disso, Beaudry mostrou-se indiferente em relação a criptomoedas como o Bitcoin, alegando que elas não estão diretamente ligadas ao sistema financeiro. Apesar disso, apontou que conforme elas crescem, seus riscos também crescem conforme mais pessoas investem nelas.

“Nós ainda não estamos em um momento onde pensamos que [as criptomoedas] estão criando um grande risco para a economia, mas é algo que estamos acompanhando de perto, bem perto”

É preciso separar criptomoedas, como o Bitcoin, de stablecoins

Beaudry também fez distinções entre o Bitcoin e as stablecoins, afirmando que estas últimas podem ter um papel muito maior na economia do que as próprias criptomoedas.

Segundo sua tese, as stablecoins são lastreadas em um ativo real, como dólar, todavia vale lembrar que o dólar não possui lastro nenhum e só perde seu valor de compra.

“Stablecoins, que não são como Bitcoin e são lastreadas por ativos reais, elas tem o potencial de ter um papel maior em pagamentos e isso também é algo que estamos de olho.”

O vice-presidente do BCC também deu enfase em apontar que as criptomoedas são ativos puramente especulativos e que não desempenham papel de dinheiro na economia. Apesar disso, o BTC vem ganhou bastante adoção neste ano com cada vez mais pessoas interesadas em receber seus salários em BTC, incluindo alguns prefeitos de cidades dos EUA.

“Em termos em como elas afetam os pagamentos, a maioria das criptomoedas são vendidas como uma ideia de que são amplamenta usadas como pagamentos porém elas não tem esse papel de pagamentos. A maioria delas está concentrada muito mais na parte especulativa, onde as pessoas compram principalmente para especular. Não vemos elas sendo usadas tanto como meio de pagamento neste momento.”, disse Paul Beaudry, vice-governador do Banco Central do Canadá.

Por fim, o importante para o Banco Central é que ele continue mandando na economia de seus cidadãos, com seu dinheiro perdendo poder de compra a cada ano que passa. A fala de Beaudry deixa claro que caso o Bitcoin continue crescendo, eles já estarão prontos para tentar frear a sua adoção.





Fonte: R7