Criadores de criptomoeda terão que pagar multa de US$ 8 milhões por sonegar impostos e dar calote em investidores

0
9


Dois criadores de uma criptomoeda estão enfrentando problemas na justiça e são acusados de sonegar impostos e evadir divisas nos Estados Unidos.

A acusação começou a tramitar no judiciário norte-americano ainda em agosto de 2021. Contudo, o caso é investigado desde 2016 quando os criadores lançaram um processo de Oferta Inicial de Criptomoedas, chamado popularmente de ICO neste mercado.

As investigações revelam que eles captaram milhões de dólares, com mais de 10.000 investidores sendo lesados pelo golpe criado usando como base a rede Ethereum.

Vale lembrar que o processo de criar um token em Ethereum pode demorar apenas alguns minutos, sendo este um golpe que ficou comum nos últimos anos no mercado de criptomoedas.

Criadores de criptomoeda confessam que sonegaram impostos

Os fundadores da criptomoeda Bitqyck, Bruce Bise (60) e Samuel Mendez (65), que foi fundada em 2016 no mercado, arrecadaram milhões de dólares no mercado de criptomoedas, com 13 mil clientes.

Como um token na rede Ethereum, essa moeda ainda detém 20 mil carteiras com usuários hoje, mas o valor de mercado já é praticamente nenhum. Isso porque, após os idosos captarem recursos com investidores, eles se dedicaram a curtir a vida, não entregando nada que prometeram aos investidores.

“Em vez de cumprir suas promessas a esses investidores, os réus usaram os fundos da Bitqyck em despesas pessoais, incluindo viagens a cassinos, carros, móveis de luxo, arte e aluguel”.

O procurador-geral dos EUA, Chad Meacham, disse que eles fizeram a maior parte das operações com criptomoedas, mas isso não os isentaria de declarar imposto de renda sobre suas transações.

Assim como no Brasil, a Receita Federal dos Estados Unidos obriga as pessoas a declararem rendimentos com criptomoedas. Ou seja, além de não declarar suas curtições, os idosos ainda praticaram um golpe no mercado financeiro.

De acordo com Chad, a operação contra esses réus visou principalmente combater a criminalidade com criptomoedas,

“Esses réus conhecedores de criptomoedas exploraram uma tecnologia emergente, mentindo para seus investidores, embolsando os lucros e ocultando a receita do IRS. O Departamento de Justiça está empenhado em garantir que cada contribuinte pague sua parte justa – e em proteger o espaço cripto de malfeitores.”

Proposta era de ser “a oportunidade para aqueles que perderam o Bitcoin”

Para criar a sua criptomoeda própria, a dupla de golpistas criou a criptomoeda Bitqy, que seria uma oportunidade única para aquelas pessoas que perderam o início do Bitcoin. O marketing construído para esse propósito culminou com o ICO em 2016.

Para evitar a atenção das autoridades, a dupla ainda dizia publicamente que a moeda não era comprada, mas sim ganhada pelos investidores, que faziam compras pela internet.

“Em uma tentativa de legitimar os tokens Bitqy – e para evitar o escrutínio sobre a venda de títulos não registrados – a empresa caracterizou a criptomoeda como um “presente ganho” que recompensava os consumidores por certas compras na Internet.”

Golpe também com mineração de Bitcoin em nuvem

Após nove meses, os dois criadores da criptomoeda que sonegaram impostos ainda chegaram a captar novos investimentos para uma operação de mineração em nuvem. Na ocasião, eles criaram um token que seria a “cota de investimento” dos clientes, mas em sua confissão de culpa eles afirmaram que nenhuma operação realmente existiu.

“De 2016 a 2018, o Sr. Bise e o Sr. Mendez arrecadaram cerca de $ 4,68 milhões e $ 4,48 milhões, respectivamente.”

Agora, os golpistas poderão pegar cinco anos de prisão por este golpe, além de pagar uma multa para a CVM dos Estados Unidos de cerca de US$ 10 milhões, somadas com a pena imposta a sua empresa Bitqyck.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DOJ) informou que a Receita Federal participou das investigações que culminaram nessa confissão de culpa.





Fonte: R7