Criador do Twitter faz alerta sobre hiperinflação nos EUA

0
21


Com os níveis de inflação crescendo nos EUA, o CEO do Twitter se mostrou preocupado com uma possível hiperinflação no país. Hoje Jack Dorsey é uma das pessoas que mais apoia o Bitcoin.

A impressão descontrolada de dinheiro por governos é uma das principais causas da perda do poder de compra de seus cidadãos. Episódios de hiperinflação tiveram grande ocorrência após o final do padrão ouro, em 1971.

Embora a hiperinflação seja algo mais comum em países pequenos e com economias fracas, caso aconteça um episódio destes nos EUA, isso impactará o mundo inteiro, beneficiando quem buscou proteção em ativos mais controlados, como ouro e bitcoin.

Hiperinflação

Embora eventos de hiperinflação sejam mais comuns em países pobres, Jack acredita que ele possa acontecer nos EUA apesar da força que o dólar possui no mundo inteiro, sendo a principal moeda usada como reserva internacional por outros países.

“A hiperinflação vai mudar tudo. Está acontecendo.”

Após um usuário comentar sobre a inflação da Nigéria, que está na casa dos 16%, Jack disse que os EUA passaria por um momento de hiperinflação em breve e que isso se expandiria para o mundo inteiro.

Vários países presenciaram episódios de hiperinflação durante três períodos da nossa história moderna, durante as duas Grandes Guerras onde os governos não respeitavam o lastro de sua moeda e boa parte de sua mão de obra estava ocupada lutando e após 1971 quando o padrão ouro foi extinto, deixando as cédulas sem lastro algum.

Episódios de hiperinflação no mundo: Fonte: WTF Happened In 1971

Inflação ou Índice de Preços ao Consumidor

Segundo alguns economistas, o termo inflação refere-se ao aumento do dinheiro em circulação, ou seja, a impressão de dinheiro. Mises é um deles, afirmando que o uso do termo inflação para referir-se ao aumento dos preços gera confusão, de certa forma ocultando a culpa das políticas monetárias de governos.

“Se você é incapaz de definir corretamente um fenômeno, você não tem como lutar contra ele.”

Segundo relatórios, mais de 40% dos dólares em circulação foram imprimidos apenas nos últimos dois anos. Isso faz com que a preocupação do fundador do Twitter seja plausível, a economia dos EUA é uma bomba relógio e sua explosão terá impacto no mundo inteiro.

Embora episódios de hiperinflação tenham ocorrido recentemente em países menores como Venezuela e a demanda por bitcoin pelos venezuelanos não ter impactado tanto o preço do BTC, agora estamos falando dos EUA e isso impactará todos países.

Hoje a inflação dos EUA está acima dos 5%, representando o maior valor das últimas décadas e próximo a números mensais da crise de 2008 que derrubou os mercados.

Caso poder de compra do dólar comece a despencar, é muito provável que o Bitcoin seja negociado por preços maiores devido a maior procura por um um ativo de impressão controlada e finita, bem como pelo fato de que menos pessoas estarão dispostas a trocar BTC por uma moeda que estará perdendo seu poder de compra vertiginosamente (na verdade, já está perdendo há décadas e por isso o BTC está tão forte).





Fonte: R7