COPEL registra queda abrupta no mercado de ações

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


A Companhia Paranaense de Energia (Copel) decepcionou-se com os números relativos ao balanço do quarto trimestre no mercado de ações. A Copel é uma empresa que possui capital público aberto, no qual o acionista majoritário é o Estado do Paraná, configurando-se em uma estatal que possui economia mista, sendo responsável pela transmissão e geração de energia elétrica. Nesse sentido, a companhia registrou uma queda abrupta no mercado de ações, em cerca de 3,7%, a R$ 7,55.

Leia também: Saiba como solicitar a restituição do ICMS da conta de energia

De acordo com os analistas Bruno Vidal, Flávia Sounis e Pedro Manfredini, esse resultado nada mais é que o impacto de uma geração que foi abaixo das estimativas do banco, que eram de R$ 542 milhões, mas alcançaram somente R$ 491 milhões. Ainda de acordo com os analistas, esse montante está intimamente ligado aos custos altos na compra de energia, bem como à manutenção dos equipamentos relacionados à geração da energia — nesse caso, a usina termelétrica.

Não obstante, vale a ressalva de que a equipe do banco enfatizou que mesmo estando abaixo do consenso do mercado, a Copel obteve um lucro líquido significativo de R$ 396 milhões, 8% acima das suposições do Goldman, que previa R$ 369 milhões. Para os especialistas, esta dinâmica deu-se, em grande parte, tendo em vista a equivalência patrimonial como resultado de melhores subsídios.

Não obstante, o BTG Pactual disse que a Copel teve resultados não muito positivos no quatro trimestre, 14% inferior ao esperado, devido aos números “ruins” na térmica de Araucária e nos custos elevados da energia. Em suma, o banco relata que mesmo com esses resultados, a empresa continua alavancando-se, atingindo cerca de 0,99 vez a dívida líquida sobre o Ebitda (Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) em dezembro, movimento que catapultou o pagamento de dividendos, chegando a representar 65% do resultado líquido referente a 2021.

“Com R$ 1,7 bilhão em dividendos, os proventos totais alcançaram R$ 3,1 bilhões em 2021, representando um forte rendimento de 14,4%”, enfatizam.



Fonte: R7