confira itens que merecem atenção e ajudam na avaliação da saúde financeira

0
12


Empreender sozinho é um desafio e uma conquista de muitos profissionais brasileiros, que por meio do Microempreendedor Individual (MEI) se regularizam buscando estabelecer seu negócio e ganhar direitos e deveres.

Na empreitada do empreendedorismo solo, manter o setor das finanças em ordem é fundamental para a gestão do negócio, entendendo gastos, fluxo de caixa e lucro mês a mês. Funções que quase sempre são desempenhadas pelo próprio MEI.

Com recursos limitados, a saúde financeira deve ser prioridade para que a situação não saia do controle e fique no vermelho. Segundo pesquisa realizada pelo Sebrae, três em cada dez MEI ‘s fecham as portas em até cinco anos. Confira dicas de índices para analisar seu comércio e evitar essa situação.

Fluxo de Caixa

O fluxo de caixa analisa as entradas e saídas do seu negócio, a movimentação financeira do MEI, acompanhando os valores que mudam durante o mês e não apenas a quantia disponível naquele momento. O que importa é o saldo do período, se foi positivo ou negativo.

Custos

Os custos podem reduzir qualquer margem de lucro consideravelmente, por isso para entender seus lucros é preciso saber quais seus custos fixos e variáveis.

Os custos fixos são aqueles com salários de funcionários, aluguel, energia, água e outros fatores necessários para conduzir o seu empreendimento.

Os custos variáveis são aqueles, como o nome sugere, que oscilam ocasionalmente, podendo ser impostos a pagar, comissões e outros.

Obrigações do MEI

Pelo MEI, o regime tributário adotado é o Simples Nacional, que reúne em apenas uma cobrança diversos impostos que os empreendedores devem estar em dia e isenta de outros tributos federais, como Imposto de Renda de Pessoa Jurídica, PIS, Cofins, IPI e CSLL. Pagando apenas um valor fixo mensal pelo Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS MEI) , que varia entre R$56 e R$61, dependendo do tipo de atividade desempenhada, o empresário contribui com o INSS e ICMS/ISS e estará com suas obrigações em ordem.

Caso não aconteça o acerto conforme previsto, o empresário pode ser inscrito na dívida ativa e ter seu MEI cancelado, podendo perder a regularização do negócio. 



Fonte: R7