Como fica a aposentadoria de quem contribuiu em outros países? | Rede Jornal Contábil

0
15


Atualmente, vivemos num mundo globalizado, onde é crescente o número de brasileiros que estão migrando para países estrangeiros, seja para se especializar em determinada área, seja para ter uma experiência internacional.

E quando chega o momento da aposentadoria, é comum que os trabalhadores tenham dúvidas de como requerer a aposentadoria e como utilizar os Acordos Internacionais de Seguridade Social no benefício, principalmente quando trabalharam em mais de um país estrangeiro.

O que são os Acordos Internacionais de Seguridade Social?

Através dos Acordos Previdenciários Internacionais é possível utilizar o tempo de contribuição de vários países, para obter a aposentadoria no futuro.

Sendo assim, se o trabalhador tiver períodos contributivos no Brasil e em vários países estrangeiros, terá garantido os direitos de seguridade social previstos nas legislações de todos os países.

Atualmente o Brasil possui o Acordo Internacional de Previdência Social firmado com os seguintes países:

  • IBERO-AMERICANO (Argentina, Bolívia, Chile, El Salvador, Equador, Espanha, Paraguai, Peru, Portugal e Uruguai);
  • MERCOSUL (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai).

Acordos Bilaterais com:

Deste modo, se você trabalhou em mais de um país e, que este possua Acordo Previdenciário com o Brasil, é possível somar o tempo de contribuição para requerer a aposentadoria junto ao INSS.

Exemplo Prático

João completou 65 anos e possui contribuições previdenciárias em vários países.

Sendo assim, com o objetivo de se aposentar, João buscou um especialista em Direito Previdenciário Internacional, para verificar como fica a sua aposentadoria.

Photo by @tirachardz / freepik
Photo by @tirachardz / freepik

especialista, ao analisar a situação de João, constatou que ele possui 05 anos de tempo de contribuição no Brasil, 03 anos em Portugal, 05 anos na Itália e 02 anos na França.

João já atingiu a idade para requerer a aposentadoria por idade no Brasil, mas também precisa ter 15 anos de tempo de contribuição.

Como João possui apenas 05 anos de contribuição no INSS, não é possível solicitar uma aposentadoria independente no Brasil.

Deste modo, em virtude da possibilidade de somar o tempo de contribuição entre os países, através dos Acordos Previdenciários Internacionais, João poderá somar o tempo de contribuição do Brasil + Portugal + Itália + França e solicitar a sua aposentadoria por idade junto ao INSS.

Interessante, não é mesmo?

Contudo, é importante ressaltar que o benefício de aposentadoria de João será calculado de forma proporcional, ou seja, apenas com o tempo de contribuição do Brasil (05 anos).

Dica de Especialista!

Se você é brasileiro e está no exterior e possui dúvidas de como ficará a sua aposentadoria no futuro, sugiro que busque um especialista em Direito Previdenciário Internacional para lhe assessorar nesta situação.

Inclusive, uma das opções para verificar o melhor caminho para alcançar a aposentadoria no futuro é realizar o Planejamento Previdenciário, assim, através de uma análise de todo o seu período contributivo, com a realização de simulações e projeções de recolhimento, você saberá qual caminho optar, para então, alcançar uma aposentadoria vantajosa no futuro.

Fonte: Domeneghetti Advogados Associados

Imagem: Domeneghetti Advogados Associados

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.



Fonte: R7