Com produção menor de arroz e feijão, Brasil mantém previsão de safra de grãos recorde em 2020/21 | Agronegócios

0
17


A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), vinculada ao Ministério da Agricultura, atualizou nesta quinta-feira (10) sua projeção para a safra de grãos que está sendo plantada neste segundo semestre e que será colhida até junho de 2021.

No total, o país deverá produzir 265,9 milhões de toneladas de grãos, ou seja, 9 milhões de toneladas, 3,5 % a mais do que a temporada de 2019/2020 e novo recorde para o país. O resultado é impulsionado pelas lavouras de soja e milho, dois dos principais itens de exportação do agro brasileiro.

Porém, o destaque fica por conta da manutenção da queda de produção de dois itens básicos na mesa do brasileiro e que tiveram disparada de preços neste ano: arroz e feijão.

No caso do arroz, a previsão é que os produtores brasileiros colham 2,1% menos: 10,94 milhões de toneladas, em relação às 11,18 milhões de toneladas da última temporada.

Vale destacar que o preço do alimento subiu 69,5%, de acordo com a inflação oficial calculada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por causa das exportações e da demanda aquecida no mercado interno.

No quadro de oferta e demanda, a quantidade ainda daria conta do consumo no país, previsto para 10,8 milhões de toneladas. Porém, qualquer mudança na produção ou aumento nas exportações pode deixar o cenário apertado.

Para o feijão, a expectativa é que as três safras de todos os tipos (carioca, preto, fradinho, vermelho, etc) produzam 3,12 milhões de toneladas, queda de 3,2% na comparação com o ciclo anterior, quando o país colheu 3,22 milhões de toneladas.

No ano, de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do IBGE, os feijões fradinho (+59,97) e preto (+40,75%) lideram a alta de preços. Já o tipo carioca subiu 12,99% no ano.

Dois dos principais itens de exportação do agronegócio brasileiro, as culturas da soja e do milho são protagonistas na safra de grãos do país. Nesta temporada, os dois produtos correspondem a 89% da produção considerada pela Conab – são 16 produtos ao todo.

Para a soja, é estimado crescimento de 7,7%, com a safra podendo chegar 134,5 milhões de toneladas, firmando o país como o maior produtor mundial da oleaginosa.

Para a safra total de milho, a produção estimada totaliza 102,6 milhões de toneladas, praticamente estável (+0,1%) em relação ao último ciclo.

Veja vídeos sobre a alta no preço dos alimentos



Fonte: G1