Carne bovina tem aumento de mais de 35% em 2020 segundo pesquisa da USP | Agronegócios

0
20


De acordo com o estudo, os preços foram puxados por dois motivos: aumento do gasto do produtor com rações e alta na exportação.

A maior escassez de chuva nos últimos cinquenta anos no centro-oeste, em 2020, reduziu o pasto no campo, segundo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Com isso, o agricultor precisou investir mais em ração.

Já as exportações brasileiras, só no ano passado, foram de 8,53 bilhões segundo Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (ABIEC). Em 2021, a expectativa é de nova alta nesta área.

Mas, com os preços altos, o consumo tende a diminuir. Este é o caso do motorista de aplicativo, Adão Arruda, que tirou a carne bovina da sua lista de compras:

“Um dia come filé de frango, peito de frango, faz alguma coisa com frango. Outro dia omelete bem feitinho, janta… Comprando carne duas, três vezes na semana, nunca como era antigamente… Todo dia comprava carne… Hoje não dá mais, não dá.” comenta.

Este movimento pode incentivar uma queda nos preços, segundo o economista Thiago Carvalho.

“Pelo lado da oferta, o cenário realmente não é favorável, porque falta esse animal no pasto. Agora pelo lado da demanda, o consumo menor da carne bovina pode sim fazer com que tenha mais estoque tanto no varejo como na indústria.”

Para Carvalho, o preço também depende de algumas variáveis: “Ao longo do ano vai depender desses custos em alta, vai depender do apetite do produtor produzir mais esse animal, realmente os custos estão em alta no campo”.

VÍDEOS: tudo sobre agronegócio



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui