Bovespa opera em queda, abaixo dos 122 mil pontos | Economia

0
12


A bolsa de valores brasileira, a B3, opera em queda nesta quarta-feira (12), em meio à queda dos futuros acionários norte-americanos e com uma bateria de resultados corporativos no radar.

Às 10h17, o Ibovespa recuava 1,08%, a 121.630 pontos. Veja mais cotações.

Na terça-feira, a bolsa fechou em alta de 0,87%, a 122.964 pontos – maior pontuação desde 14 de janeiro. Com o resultado de hoje, o Ibovespa acumula avanço de 3,42% no mês. No ano, o índice tem valorização de 3,32%.

Os investidores digerem nesta quarta-feira dados sobre a inflação de abril nos Estados Unidos. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) subiu 0,8% em abril, acelerando em relação à alta de 0,6% em março, mais do que o esperado, o que pode alimentar os temores no mercado financeiro de um período longo de inflação mais alta.

Na avaliação de analistas, uma inflação em alta pode mexer com os planos do banco central dos Estados Unidos (Fed) de manter os juros perto de zero e seguir comprando títulos, o que tende a reduzir o fluxo de dólares para países emergentes.

Na China, as commodities continuam em altas. Aço e minério de ferro registraram novas máximas.

Por aqui, a expectativa do mercado é de que uma nova alta de 0,75 ponto percentual na taxa básica de juros deva ocorrer em junho. A Selic em alta aumenta a diferença entre os retornos oferecidos no Brasil ante os dos Estados Unidos e de outros mercados emergentes, o que eleva a atratividade do real, potencialmente valorizando a moeda.

Na agenda do dia, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que o setor de serviços teve queda de 4% em março, voltando a ficar no patamar pré-pandemia. No 1º trimestre, porém, houve alta de 2,8% na comparação com o 4º trimestre.

Em Brasília, a CPI da Covid do Senado ouve o ex-secretário de Comunicação Social da Presidência da República Fabio Wajngarten.

Sardenberg analisa a ata do Copom e a inflação acima do teto

Sardenberg analisa a ata do Copom e a inflação acima do teto

Variação do Ibovespa em 2021 — Foto: G1 Economia



Fonte: G1