Bovespa abre em leve alta nesta quarta-feira | Economia


O Ibovespa, principal índice de ações da bolsa de valores de São Paulo, a B3, abriu em leve alta nesta quarta-feira (30).

Às 10h04, o Ibovespa subia 0,04%, a 120.065 pontos. Veja mais cotações.

Na segunda-feira, a bolsa fechou em alta de 1,07%, a 120,014 pontos – maior pontuação do índice desde 27 de agosto (120.667 pontos). Com o resultado, o Ibovespa passou a acumular alta de de 6,07% no mês. No ano, o avanço é de 14,49%.

Ocidente recebe com desconfiança a promessa de Putin reduzir ataques à Ucrânia

Ocidente recebe com desconfiança a promessa de Putin reduzir ataques à Ucrânia

O que está mexendo com os mercados?

Na véspera, os investidores recebendo positivamente o anúncio de mudança na presidência da Petrobras. Na visão dos analistas, a mudança não deve causar alterações profundas na política de preços de combustíveis apesar do contexto negativo em que aconteceu, por conta da alta pressão em torno da política de preços da companhia e temores de interferência na estatal.

No exterior, as bolsas operam sem uma direção única nesta quarta-feira. Os preços do petróleo sobem ao redor de 2%, com o barril do Brent negociado acima de US$ 112. Os investidores monitoram os sinais de avanços nas negociações entre Rússia e Ucrânia.

A Rússia prometeu na terça-feira reduzir as operações militares em torno de Kiev e de outra cidade, mas os Estados Unidos alertaram que a ameaça não acabou depois de a Ucrânia propor adotar status neutro em sinal de avanço nas negociações presenciais.

“Embora o otimismo em relação à discussões de paz entre Rússia e Ucrânia em Istambul tenha elevado o apetite por risco ontem, a falta de resultados palpáveis deve reduzir o apetite por risco hoje”, disseram economistas do UniCredit em nota a clientes.

Na agenda doméstica, a FGV mostrou que o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) ficou em 1,74% em março e a ainda acumula alta de 14,77% em 12 meses, com o reajuste dos combustíveis já refletindo nos índices de inflação.

A confiança do setor de serviços registrou alta em março, após quatro meses seguidos de quedas, segundo a FGV. No comércio, a confiança ficou praticamente estável em relação a fevereiro.



Fonte: G1