Boa Safra Sementes inicia cobertura com recomendação de compra e potencial alta de 32%

0
14


Com agronegócio mais tecnológico – tanto no plantio, quanto no uso de maquinário – e a alta da inflação, a oportunidade de investimento tem sido vista com bons olhos pelos analistas da XP. Eles apontam que a ação da Boa Safra Sementes está sendo negociada a 4,6 vezes o valor da empresa.

O resultado é obtido sobre o lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações para 2022. E a expectativa é que se o crescimento seja ainda mais acentuada nos próximos anos. E a Boa Safra tem se mostrado a empresa a mais preparada do ramo. Entre os principais destaques, estão a estrutura operacional, e, o crescimento orgânico da companhia.

“A empresa conta com diferenciais estratégicos relevantes, como seu modelo leve em termos de ativos, sua integração na cadeia de produção, seu alto nível tecnológico, além da base de clientes diversificada”, informou em nota a XP.

Outra justificativa para a recomendação, é a de que os produtores do país tem buscado aumentar a produtividade com sementes mais tecnológicas. Exatamente aquilo que propõe a empresa, que segue um padrão sazonal de soja, mas que pode expandir sua atuação para outras sementes, como a de milho, por exemplo.

A XP também acredita que a empresa seja capaz de intensificar suas negociações nos royalties cobrados pelas multinacionais. Nesta sexta-feira, a Boa Safra, apresentou alta de 0,51%, sendo comercializada a R$ 13,70 na Bolsa brasileira.

Na tese de investimentos, os principais riscos destacados pela XP são: eventos climáticos; consolidação de mercado, integração com parceiros comerciais, variação de preços no ciclo de commodities, e risco das sementes salvas, que ainda hoje são utilizadas para plantio no Brasil.



Fonte: R7