Após demitir cientista negra, profissionais do Google assinam petição contra empresa | Tecnologia

0
29


Funcionários do Google estão assinando um abaixo-assinado contra a demissão da cientista de inteligência artificial Timnit Gebru na quarta-feira (2), após ela enviar um e-mail interno acusando o Google de “silenciar vozes marginalizadas”. Até o momento, mais de 1,5 mil profissionais da empresa e 2,2 mil apoiadores acadêmicos, da sociedade civil e da indústria de tecnologia assinaram a petição.

A pesquisadora anunciou na quarta-feira que foi demitida do Google por conflitos relacionados a um artigo jornalístico e a um e-mail enviado a um dos grupos de pesquisa da empresa, em que criticava o tratamento dado aos profissionais minoritários, como negros e deficientes. O texto escrito para um veículo de comunicação abordava os potenciais riscos éticos dos modelos de linguagem.

Segundo a cientista, a empresa pediu que ela se retratasse totalmente do artigo ou retirasse seu nome e os nomes de outros colegas de trabalho. Gebru disse que retiraria seu nome do jornal em troca de uma explicação do motivo da rejeição do texto.

Ela disse à administração que se essas condições não pudessem ser atendidas, ela “trabalharia em um último encontro”, de acordo com postagens feitas nas redes sociais.

A pesquisadora informou que o Google se recusou a atender as condições solicitadas e acelerou sua demissão por conta de um e-mail que ela enviou para uma lista interna chamada “Google Brain Women and Allies” (mailing interno do grupo de pesquisa de ética e IA), em que criticou a diversidade da empresa e os esforços de inclusão.

Na sexta-feira (4), Jeff Dean, líder de IA do Google, elaborou um comunicado que dizia: “que o trabalho de pesquisa tinha algumas lacunas importantes que nos impediam de ficar confortáveis ​​ao relacioná-lo ao Google”.

Procurado pelo G1, o Google não retornou até o fechamento desta reportagem.





Fonte: G1