Após ataque hacker em oleoduto, motoristas fazem fila em postos de gasolina nos EUA | Economia

0
10


Com combustível em falta depois de um ataque cibernético à empresa Colonial Pipeline, responsável pelo maior oleoduto dos Estados Unidos, motoristas fizeram fila em vários postos de gasolina na Carolina do Norte e em outros estados do país para abastecer os carros.

O governo da Carolina do Norte declarou estado de emergência diante da escassez de combustível. No estado, um posto em Charlotte limitou a compra a US$ 30 por consumidor, menos que um tanque cheio. “Vai doer um pouco no bolso de todo mundo”, disse um motorista.

No ataque cibernético, os hackers roubaram informações e desconectaram a rede do oleoduto, que ficou interrompida na sexta-feira (7). O serviço ainda está sendo restabelecido.

Motorista fazem fila para abastecer depois de ataque hacker que atingiu a Colonial Pipeline — Foto: Associated Press

O oleoduto afetado tem quase 9 mil quilômetros e passa por dez estados. Ele vai do Texas até a Costa Leste americana, onde abastece quase metade de toda a demanda de gasolina, óleo diesel e querosene de avião.

Segundo as investigações do governo americano, a invasão foi realizada por hackers de dentro da Rússia. O presidente Joe Biden afirmou que não há evidências de participação do governo russo, mas o ataque cibernético deixou clara a vulnerabilidade de serviços de infraestrutura de energia do país.

O diretor em exercício do Departamento de Segurança Interna, Brandon Wales, foi ouvido no Senado. Ele alertou para o aumento dos ataques cibernéticos e disse que os Estados Unidos precisam de investimentos para modernizar os sistemas de segurança.

O preço da gasolina chegou a subir cerca de 2% na Carolina do Sul. A empresa responsável pelo oleoduto espera normalizar o abastecimento até o fim desta semana.

Vídeos: Últimas notícias de economia



Fonte: G1