Açúcar bruto recua para mínima de 6 semanas na ICE, café avança

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


NOVA YORK/LONDRES (Reuters) – Os contratos futuros de açúcar bruto na ICE caíram para a mínima de seis semanas nesta terça-feira, pressionados por exportações da Índia e pela fraqueza nos preços do petróleo.

Os preços mais baixos da energia reduzem o incentivo para as usinas no Brasil produzirem etanol, um biocombustível à base de cana, o que pode levar ao aumento da produção de açúcar.

AÇÚCAR

* O açúcar bruto para julho ​fechou em queda de 0,23 centavo de dólar, ou 1,2%, a 18,62 centavos de dólar por libra-peso, após cair para mínima de 18,59 centavos de dólar –o menor patamar para o primeiro contrato desde 18 de março.

* Operadores observaram que a colheita de cana-de-açúcar no centro-sul do Brasil teve um início mais lento do que o esperado, enquanto as usinas estão focadas no uso da cana para produzir etanol em vez de açúcar

* O açúcar branco para agosto caiu 10,40 dólares, ou 2%, a 519,00 dólares a tonelada, tendo tocado a mínima de seis semanas.

CAFÉ

* O café arábica para julho avançou 2,05 centavos de dólar, ou 0,9%, a 2,1795 dólares por libra-peso, com o mercado ganhando algum território após cair quase 3% na segunda-feira.

* A trading de café Comexim disse em um relatório que o mercado parecia estar travado em uma ampla faixa, com preços médios muito acima dos níveis pré-pandemia.

* “Esse intervalo de seis meses, e 50 centavos de largura, começa a nos dizer algo, que é a estabilidade da tendência horizontal”, disse, acrescentando que sua equipe de compras no Brasil viu um baixo número de ofertas de venda de agricultores nas últimos semanas.

* O café robusta para julho subiu 8 dólares, ou 0,4%, a 2.115 dólares a tonelada.

(Reportagem de Nigel Hunt)









Fonte: Mix Vale