99 afirma que vai monitorar corridas e permitir que usuários gravem áudios

8



Tecnologia vai ser usada para minimizar interações inadequadas entre motoristas e passageiros, além de monitorar se houve mudanças no trajeto e no tempo da corrida. A empresa de transporte por aplicativo 99 anunciou nesta terça-feira (30) que vai fornecer aos usuários dois novos mecanismos de segurança.
Uma delas é possibilidade de gravar as corridas pelo aplicativo e a outra é uma tecnologia que vai detectar anomalias no trajeto, como paradas muito longas ou viagens com tempo acima do previsto.
As novidades valem para todos os usuários que usam a plataforma, que tem mais de 600 mil motoristas e 18 milhões de passageiros no Brasil.
A Uber, principal concorrente da 99 no mercado de transporte por aplicativo no país, havia anunciado ferramentas semelhantes no início do ano.
Uber lança ferramenta que grava conversas durante corridas
A gravação de corrida pode ser utilizada tanto por passageiros como por motorista. Caso esteja sendo utilizada, o outro lado, seja passageiro ou motorista, não é notificado que está sendo gravado. Segundo a 99, “as conversas são criptografadas e armazenadas de acordo com a Política de Privacidade da plataforma e em conformidade com a legislação”.
Esse recurso, de acordo com a empresa, pode ser ativado pelo “kit de segurança” do aplicativo, onde estão também o compartilhamento de rota e a ligação rápida para a polícia.
99 vai permitir gravar áudios da corrida. Aplicativo também vai monitorar trajetos para detectar anomalias.
Divulgação
Já o monitoramento de corridas vai unir o sistema de localização GPS com inteligência artificial, para detectar mudanças de rota, paradas longas e trajetos com tempo acima do previsto. “Caso algum comportamento inadequado seja identificado, a equipe de segurança da 99 será avisada de que algo pode estar errado”, disse a empresa em nota.
As novidades tem como objetivo proteger usuários e motoristas de casos de assédio e tentativas de agressão. Em fevereiro, uma estudante denunciou um motorista por estupro após uma corrida em São Paulo — o tempo da corrida, na ocasião, foi maior do que 5 horas.


Fonte: G1