20 milhões de pessoas passaram a viver em níveis extremos de insegurança alimentar neste ano, diz Oxfam

0
18



Ao todo, de acordo com um relatório desenvolvido pela ONG, 155 milhões de pessoas vivem em níveis de insegurança alimentar em 55 países. Em 2021, 20 milhões de pessoas passaram a viver em níveis extremos de insegurança alimentar, de acordo com um relatório da ONG Oxfam divulgado nesta quinta-feira (8).
Exclusivo: retomada favorece mais ricos e deve levar 1,2 mi de famílias à pobreza
Batizado de “O Vírus da Fome se Multiplica”, o estudo estima que 155 milhões de pessoas em 55 países vivem em níveis extremos de insegurança alimentar.
Mais pobres levarão 14 anos para repor perdas da pandemia, diz relatório da Oxfam
Retomada econômica favorece mais ricos e deve levar 1,2 milhão de famílias para as classes D e E
“Até 11 pessoas poderão morrer de fome e desnutrição por minuto até o fim de 2021 no mundo – número maior do que a atual taxa de mortalidade da Covid-19, que é de sete por minuto – se nenhuma ação imediata for tomada para enfrentar as principais causas do problema: conflitos armados, Covid-19 e crise climática”, destacou a Oxfam.
O levantamento também mostra que a fome se intensificou em países de renda média, como Brasil, Índia e África do Sul, que foram duramente afetados pela pandemia.
Com base nos dados da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede PENSSAN), a Oxfam diz que 20 milhões de brasileiros passam fome.
“A pandemia da Covid-19 escancarou as desigualdades brasileiras e trouxe essa emergência da fome a milhões de pessoas no país”, diz Katia Maia, diretora executiva da Oxfam Brasil. “Vivemos uma situação catastrófica porque há uma negligência sem tamanho com a vida das brasileiras e brasileiros, que estão sem vacinas, sem ter o que comer, sem emprego e sem renda.”



Fonte: G1