13º salário: confira 5 dicas para usar o benefício de forma consciente | Educação Financeira

0
11


Os trabalhadores com carteira assinada devem receber a primeira parcela do 13º salário até 30 de novembro. Depois, até o dia 20 de dezembro chega a segunda parcela.

Em um momento tão difícil da economia, com inflação em alta e com 74,6% das famílias brasileiras endividadas, usar esse benefício com sabedoria nunca foi tão importante. O podcast Educação Financeira, do g1, ouviu a especialista em finanças sustentáveis, Dani Carvalho, para dar dicas de como usar usar esse dinheiro de forma saudável e responsável.

Para Dani, é preciso pensar, organizar e projetar o que fazer com esse dinheiro.

“A partir do olhar para o que aconteceu na sua vida nesses últimos anos, para como estão as suas finanças nesse momento e o que você vislumbra para o próximo ano é que a gente pode tomar as decisões. Temos algumas diretrizes de melhores decisões possíveis para esse dinheiro, mas não é uma fórmula mágica, a gente precisa respirar fundo e refletir”, orienta.

Confira as dicas da Dani:

O ideal para quem tem dívidas é usar, pelo menos, uma parte do 13º para quitá-las. Com o dinheiro em mãos, dá pra negociar os valores.

“Não pague o valor imediato que estão te cobrando. Liga, negocia e renegocia. As instituições estão preparadas e cada vez mais interessadas nesse momento em que já sabem que todo mundo está recebendo o 13º. As instituições também têm todo o interesse em fazer acontecer e o endividado tem todo o direito de renegociar essa dívida”, explica a especialista.

2- Faça uma reserva de emergência

A reserva financeira é o dinheiro guardado para momentos de necessidades e imprevistos. Para quem não tem dívidas, essa seria a primeira dica.

O 13º é uma excelente alternativa para completar ou começar a formar essa reserva. Dani explica que não é preciso guardar todo o dinheiro: “Eu sugiro um meio termo. Define um percentual daquele dinheiro que vai para reserva de emergência e o outro percentual que vai para o seu consumo”.

Todo dinheiro extra que entra no orçamento é uma ótima oportunidade para começar a poupar e investir. Lembrando sempre que não existe um investimento perfeito, existe o que funciona para cada pessoa.

“É legal começar uma previdência ou, pra quem já tem uma, fazer um aporte maior agora. Outra dica é comprar títulos públicos indexados ao IPCA. Esses títulos estão com uma remuneração bem interessante no momento. E claro, a depender do seu sonho, outros investimentos possíveis”, afirma a especialista.

4- Gaste com responsabilidade

Depois de tempos tão difíceis, de viver uma pandemia, é normal querer usar esse dinheiro como uma forma de recompensa. E mais do que isso: para proporcionar momentos felizes, seja com viagens, festas ou presentes.

Não precisa abrir mão da possível recompensa que esse dinheiro significa nesse momento, mas precisa consumir com conscicência.

“Qual é a experiência recompensadora que você quer sentir no fim do ano? Porque quando a gente entende como quer se sentir, a gente encontra inclusive soluções criativas que não necessariamente passem pelo dinheiro ou não passam por todo o dinheiro que a gente acha que precisa gastar para alcançar”, afirma Dani.

Que tal ressignificar o dinheiro e fazer uma doação? Essa é a última dica da Dani.

“Dividir, doar, escolher uma iniciativa em que você confie ou se engajar com pessoas que você conheça, se conectar com a sua comunidade, olhar ao redor e perceber que, às vezes a gente acha que tem tão pouco, mas uma fração do seu pouco pode mover muito para muita gente que tem menos do que você”, afirma.

Brasileiros planejam como gastar 13º salário - que vai injetar na economia maior valor em 9 anos

Brasileiros planejam como gastar 13º salário – que vai injetar na economia maior valor em 9 anos



Fonte:G1