Um dia em TAMOIOS: lixo na orla, praia cheia, abandono e até cavalo atropelado

    2333

    Hoje tiramos o dia para dar uma passada por Tamoios, segundo distrito de Cabo Frio, para dar uma olhada em denúncias de moradores da Rua dos Robalos, onde encontramos vários problemas. A orla da praia de Tamoios está abandonada, com lixo e entulho acumulado em diversos pontos. Encontramos um quiosque abandonado com muito entulho e até um vaso sanitário do lado de fora, também acumulando sujeira.

    Percebemos que, enquanto o comércio de Cabo Frio está fechado desempregando milhares de chefes de família, as pessoas continuam indo à praia – a orla estava mais uma vez cheia em mais um sábado de sol – um contrassenso, já que o isolamento na orla deveria ser responsabilidade da fiscalização da Prefeitura. Aliás, me conversa com moradores descobrimos que há semanas não passa qualquer fiscalização pelo local, o que é comprovado pelos sinais de abandono da região.

    De volta pra casa, recebemos pelo nosso e-mail mais uma denúncia. Um cavalo havia sido atropelado por volta das cinco da tarde, na altura da Rua das Pacas, no portal de entrada do Condomínio Bougainville 4, um trecho bastante perigoso, como aliás já havíamos noticiado em outras ocasiões aqui no Plantão dos Lagos. Os moradores chamaram os bombeiros e a Prefeitura (que disse que tomaria providências) mas duas horas depois o cavalo ainda estava jogado na pista (já escura pelo cair da noite) podendo causar um sério acidente. “A comunidade de Tamoios pede socorro!”, disse um morador que está há um ano morando na região e ainda não sabe a quem recorrer nesse tipo de caso.

    Ao mesmo tempo que muitos moradores reclamam da falta de ação do poder público, alguns creditam parte da culpa à própria população do distrito, como é o caso do Ari Sebastião de Almeida, que mandou um e-mail para o Plantão dos Lagos dizendo que o carro da coleta de lixo passa na orla todos os dias, mas o que falta é fiscalização. “Eu entendo que deveria ser obrigado, ao alguém fazer obras, que fosse colocado uma caçamba, como é feito em outras cidades. Só que como a nossa Prefeitura não fiscaliza, o povo aproveita e faz o que quer. Neste quiosque que aparece na foto (que não deveria existir, pois nem funciona), o povo sempre jogou o lixo.  O pior é que jogam também na areia e quando a máquina entra para tirar destrói a calçada, como está em toda a orla. Tem que fiscalizar, autuar e multar. Infelizmente, só respeitamos quando dói no bolso”, escreveu.

    Na página da COMSERCAF, há uma aba que trata do “recolhimento de galhos, entulho e material inservível”, porém, com regras bem definidas para a população seguir: “A Comsercaf oferece o serviço gratuito de remoção de resíduos de construção civil, de galhadas provenientes de podas de árvores e de bens inservíveis (fogões, geladeiras, sofás, eletrodomésticos e etc). A população deve colocar os entulhos dentro de sacolas plásticas. A companhia tem como obrigação legal, a coleta de até 3 m³ (12 sacolas de 30 litros). Acima dessa quantidade, o descarte é de responsabilidade do cidadão, que deve contratar uma caçamba. Vale ressaltar que as caçambas particulares são regidas por normas rígidas instituídas pela Lei de Limpeza Urbana”. O que percebemos nas ruas é que os caminhões da concessionária, inclusive com o auxílio de tratores e pás mecânicas, fazem a coleta dos entulhos que em alguns locais de acumulam em montanhas nas ruas. Eles mesmos, portanto, desrespeitando a própria norma da companhia.

    Até o fechamento dessa matéria a Prefeitura de Cabo Frio ainda não havia informado que tipo de providências deve tomar para resolver os problemas dos moradores da Rua dos Badejos e da orla de Tamoios e também não esclareceu o que faz para que se cumpra o decreto de isolamento social do prefeito Adriano Moreno que, entre outras coisa determina o bloqueio dos acessos às praias do município. Continuamos aguardando as respostas da Prefeitura pelo e-mail plantaodoslagos@gmail.com.

    Todas as nossas reportagens estão em constante atualização. Quem entender (pessoas físicas, jurídicas ou instituições) que tem o direito de resposta acerca de quaisquer de nossas publicações, por ter sido citado ou relacionado a qualquer tema, pode enviar e-mail a qualquer momento para plantaodoslagos@gmail.com

    ©Plantão dos Lagos
    Fonte: Redação / Plantão
    Fotos: divulgação