TRE muda local de 93 seções eleitorais em áreas de risco, incluindo a Região dos Lagos

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro irá transferir o endereço de 93 seções eleitorais em áreas controladas por facções criminosas, incluindo a Região dos Lagos, para as eleições municipais, marcadas para outubro.

Os endereços ainda não foram divulgados, mas a seleção vai considerar a proximidade com locais frequentados pelos eleitores e o nível de segurança das regiões. O presidente da corte, desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira, também vai solicitar o serviço de tropas federais para a realização do pleito.

As trocas foram definidas a partir de um mapeamento de dados da inteligência das polícias Federal, Rodoviária Federal, Civil e Militar, da Guarda Municipal do Rio e dos Ministérios Públicos Federal e Estadual, que demonstraram o controle criminoso das regiões de onde as zonas de votação sairão.

O domínio da milícia nessas áreas está distribuído pela zona oeste do estado, em especial nos bairros de Campo Grande, Santa Cruz, Sepetiba e Jacarepaguá, além do município de Itaguaí, e na Região dos Lagos.

Já os pontos dominados por traficantes estão em cidades da Baixada Fluminense, como Queimados, Duque de Caxias e Belford Roxo, e da Região Metropolitana, como São Gonçalo e Niterói.

Precedentes perigosos

Em um intervalo de quatro dias, dois crimes envolvendo pré-candidatas a Câmaras Municipais ocorreram na Baixada Fluminense. Ambos são investigados pela Polícia Civil.

Na terça-feira (11), dois filhos de Shirley Marinho, pré-candidata a vereadora de Seropédica, foram mortos a tiros dentro do condomínio onde moravam com a mãe. Os rapazes tinham 18 e 20 anos.

No sábado (15), a pré-candidata a vereadora do município de Nova Iguaçu, Juliana Silva, conhecida como Nega Juh, e o filho dela, Alexander Gomes, foram mortos a tiros.

*Com informações do SBTNEWS


Fonte: Polícia RC24H