Secretaria de Saúde intensifica esforços para combater o mosquito transmissor da doença – Casimiro de Abreu

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Ao contrário do que muitos imaginam, a DENGUE não é a única doença transmitida pelo Aedes aegypti. O MOSQUITO também está  relacionado a outras DOENÇAS  similares, como CHIKUNGUNYA  e ZIKA. A melhor forma de prevenção é eliminar o foco do mosquito, que em sua maioria encontra-se no quintal de nossas casas. Portanto é fundamental que os moradores cooperem com os agentes de combate a endemias, facilitando o acesso deles às suas casas.

A partir da próxima segunda-feira (23), a Divisão da Vigilância Ambiental em Saúde estará intensificando as ações de combate ao aedes por meio de mutirão nas localidades com maior índice de infestação do mosquito. Também haverá ação de bloqueio, ou seja, uso do UBV (fumacê) em um raio de 300 m das residências ou do local onde haja caso confirmado de dengue, em tempo hábil para a devida ação.
“O ciclo de trabalho dos nossos agentes é de 60 dias, e do mosquito é de 7 dias. Portanto para evitar a proliferação do mosquito, é de extrema importância a cooperação do morador com 10 minutos do seu tempo, por semana,  verificando e eliminando qualquer tipo de depósito que possa acumular água. Exemplos bem comuns são os vasos de plantas, além das bromélias e bananeiras, que costumam acumular muita água”, observou Jessica Sandre Pereira, coordenadora de Vigilância Ambiental em Saúde.

 

 

Fonte: Casimiro de Abreu