Roda Cultural volta a ser retirada no Manoel Corrêa, em Cabo Frio, nesta quinta-feira (19)

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Está marcada para esta quinta-feira (19), a partir das 14h, na praça do bairro Manoel Corrêa, mais uma edição da roda cultural ‘Batalha do Mantém’. A informação foi antecipada pela Folha na edição do último dia  13. É o retorno do evento ao local, pela primeira vez, desde os acontecimentos da noite do último dia 5, quando policiais militares dispararam tiros para interromper a atividade. No momento, havia muitas crianças e adolescentes no local e os equipamentos de som chegaram a ser atingidos pelos disparos.


Para a volta da ‘Batalha do Mantém’, uma longa programação está prevista, com atividades de grafite e rejuvenescimento da praça; corte de cabelo para crianças; oficinas de muay thai, música e futsal; apresentações de dança e concurso de Tik Tok. Às 17h, está marcada a apresentação do grupo Tambores Urbanos, que tem origem na comunidade do Manoel Corrêa.


Esta edição da ‘Batalha do Mantém’ terá ainda a presença de artistas conhecidos da cena do rap nacional como MZ, Knust, Funkero e Dois P e shows de Quartz e Camilla Red. A tradicional batalha de MCs fechará o evento.


“Muito rap, muita cultura, muita música e muita resistência! A Tropa do Mantém, mantém!”, diz o texto de divulgação da roda.  


Ministério Público abriu procedimento para apurar acontecimentos 


Na última sexta-feira (14), a 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Cabo Frio do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) instaurou, nesta sexta-feira (13), um inquérito civil para apurar as circunstâncias da ação da Polícia Militar durante a batalha de rimas no bairro Manoel Corrêa, no último dia 5.


Para o promotor de Justiça Vinícius Lameira, titular da 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Cabo Frio, o objetivo do procedimento é atuar em defesa da liberdade de manifestação cultural dos jovens.  


– Essa intervenção está sendo realizada para proteger a liberdade de manifestação cultural, de realização de batalhas de rap dentro da comunidade, sem atos de violência. Iremos ouvir os organizadores do evento, o comandante do Batalhão da PM e tentar desenvolver, conjuntamente, um protocolo de atuação da polícia quando estiverem sendo realizados eventos dessa natureza em comunidades do município – afirmou o promotor. 


 


 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.





Fonte: Folha dos Lagos