Presos mais três suspeitos de derrubar moto e atirar contra desafetos em Resende

    0
    11



    Policiais cumpriram mandados de prisão preventiva nesta quinta-feira. Motivo do crime seria briga entre integrantes de facções criminosas rivais, diz Polícia Civil. Pistola apreendida nesta quinta-feira teria sido usada no crime, diz polícia
    Divulgação/Polícia Civil
    Três jovens foram presos nesta quinta-feira (9) por suspeita de envolvimento em uma tentativa de homicídio que aconteceu há uma semana em Resende, no Sul do Rio de Janeiro. O crime foi na Avenida Rita Maria Ferreira da Rocha, a Beira-Rio do bairro Jardim Jalisco.
    Segundo a Polícia Civil, eles são acusados passar de carro derrubando uma moto e depois atirar contra o motociclista e outra pessoa que estava na garupa.
    Uma das vítimas foi baleada na perna e a outra sofreu apenas ferimentos leves por causa do tombo da moto. A polícia não informou se o baleado era o motociclista ou estava na garupa. Os dois foram levados ao Hospital de Emergência e receberam alta na manhã do dia seguinte.
    Os agentes da 89ª Delegacia de Polícia vinham investigando o caso nos últimos dias e identificaram mais três suspeitos — um já havia sido preso na última sexta-feira (3). Diante das evidências apresentadas, a Justiça expediu mandados de prisão preventiva contra os três.
    Um dos suspeitos, um jovem de 21 anos, apontado como o motorista do carro usado no crime, foi localizado pela manhã, no bairro Cidade Alegria.
    Os outros dois, de 19 e 22 anos, que teriam efetuado os disparos, foram encontrados à tarde, caminhando pelo bairro Santo Amaro. Eles estavam com uma pistola que, segundo a Polícia Civil, pode ter sido usada no dia do crime.
    A Polícia Civil informou também que o motivo do crime seria uma briga entre integrantes de facções criminosas rivais que disputam o comando do tráfico de drogas na cidade.
    Além da tentativa de homicídio, os três também vão responder por tráfico e associação para o tráfico de drogas e porte ilegal de arma.


    Fonte: G1