Prefeito de São Pedro sugere que mães de alunos joguem fora alimentos recebidos nas escolas

0
123


O prefeito de São Pedro da Aldeia, Fábio do Pastel, rebateu nesta terça-feira (21), durante uma live nas redes sociais, mães e pais de alunos que reclamaram da qualidade dos alimentos fornecidos como merenda escolar no município. Segundo as denúncias, alimentos impróprios para consumo teriam sido entregues para a alimentação dos estudantes da rede municipal de ensino. 

Durante a live, o prefeito se irritou e sugeriu o que, na opinião dele, deveria ser feito com os alimentos. 

“A mãe que não achar que aquilo é um alimento, já até falou de jogar fora, que ela pegue e faça”, disse o prefeito.

Fábio do Pastel também buscou justificar porque as aulas não retornaram na data que havia sido marcada pela Prefeitura. 

“As aulas estavam programadas para voltar agora no dia 20, e todo mundo estava trabalhando. A gente não conseguiu voltar às aulas por coisas burocráticas dentro de uma legalidade”, afirmou, sem explicar quais seriam as dificuldades.

Nas redes sociais pais e responsáveis publicaram comentários e fotos dos produtos distribuídos pelas escolas.

“Desrespeito total do governo com seus alunos, esse é o kit da agricultura familiar? Gostaria de saber se o secretário de educação ou o chefe do governo passariam 30 dias alimentando seus filhos com essa quantidade de alimentos? A sociedade de São Pedro precisa saber como os pais, responsáveis e alunos estão sendo tratados por este governo”, disse uma moradora aldeense que comentou na live do prefeito.

“Feio e desnecessário foi o prefeito dizer pra mãe jogar comida fora e debochar dos pais dos alunos da rede municipal de ensino”, apontou outra moradora na publicação.

Procurada pelo Fonte Certa, a Prefeitura de São Pedro enviou uma nota dizendo que os alimentos que estiverem impróprios para consumo devem ser devolvidos na escola de onde foram retirados. Veja a nota na íntegra:

“A Secretaria de Educação informa que estão sendo entregues itens de agricultura aos 13.076 alunos matriculados na rede municipal de ensino. A medida tem como objetivo repassar aos alunos os alimentos perecíveis que foram solicitados para o retorno das aulas presenciais, que ocorreria no dia 20 de setembro.

A verba utilizada para a aquisição de frutas e legumes faz parte do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), em que uma porcentagem é destinada à agricultura familiar, para aquisição de produtos de origem natural que complementam os valores nutricionais na refeição do estudante. Entre os itens entregues estão, laranja, aipim, banana prata, cenoura, beterraba, chuchu e tomate.

Os produtos só poderão ser retirados nas escolas pelo responsável legal ou pelo aluno maior de 18 anos, mediante a apresentação de documento.

Vale ressaltar que, por serem alimentos naturais e perecíveis, os produtos que forem encontrados em estado indevido para consumo, devem ser devolvidos à escola, onde será realizado um levantamento para reposição”.



Fonte:
Fonte Certa