Praias das Caravelas, Forno, Foca e Tucuns em Búzios mais perto da certificação da Bandeira Azul

0
28


A Praia das Caravelas, situada na localidade de mesmo nome, e inserida na APA do Pau-Brasil, em Búzios, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, pode ser escolhida, entre outras três praias do balneário, para concorrer ao selo Bandeira Azul, um prêmio ecológico mundial, voluntário, concedido a praias, marinas e embarcações de turismo. Além da Caravelas, também serão inscritas as praias Forno, Foca e Tucuns. A ação para pleitear o selo de qualidade é conjunta entre Prefeitura, Câmara de Vereadores, setor privado, terceiro setor e associações de moradores.

Para se qualificar com a certificação Bandeira Azul, uma série de critérios com foco em gestão e educação ambiental, qualidade da água, segurança e serviços, turismo sustentável e responsabilidade social devem ser atendidos, mantidos e comprovados anualmente.

“É um trabalho preparatório, não é imediato, mas há a necessidade de se programar para alcançar as metas necessárias de estruturação das praias para os próximos anos de avaliação”, explica o secretário de Meio Ambiente, Pesca e Urbanismo, Evanildo Cardoso.

Recentemente, representantes das secretarias de Meio Ambiente, Pesca e Urbanismo, Secretaria de de Turismo, além da Câmara de Vereadores, estiveram na Praia da Caravelas. Eles foram recebidos por equipes do Instituto Ecológico Búzios Mata Atlântica (IEBMA), da Associação Civil Village Praia das Caravelas (ACVPC) e do Hotel APA Pau-Brasil, e puderam conferir o trabalho desenvolvido no local e a infraestrutura existente.

A ação conjunta entre IEBMA e a ACVPC, com apoio do Hotel Apa Pau-Brasil já mantem equipamentos como banheiros, restaurante e auditório, este último conhecido como ‘Salão da Praia’, que fica na área do condomínio geral em terreno privado próximo à praia. O Salão da Praia tem grande importância histórica. Desde 1990 é cedido para ações de interesse público como reuniões para a emancipação político administrativa de Búzios e e atividades socioambientais, como as que serviram de base para a criação da Apa do Pau-Brasil.

Uma praia pode ser eleita para ter a Bandeira Azul se for oficialmente uma área de banho com pelo menos um ponto de coleta para análise de qualidade de água, e Evanildo reforçou essa preocupação.

“Nossa missão a médio prazo é colocar nossa cidade, como hotspot em Ecoturismo, através de estruturação das nossas Unidades de Conservação e das nossas praias. Para isso, precisamos avançar em conquistas na área do saneamento, como já temos buscado, implantando só este ano mais de 6 km de rede separativa de esgotamento sanitário no Capão e em Cem Braças”, conta.

Na Caravelas funciona, desde a década de 1980, uma estação de tratamento de esgoto, que posteriormente foi qualificada também a produtora de água de reuso, uma ETERS. Mantida pela união dessas três entidades, o IEBMA, a ACVPC e o hotel, a ETERS recebe todo o esgoto gerado pelas 170 casas dos residenciais que formam a comunidade em torno da praia, do hotel e também do clube de praia.

‘É esgoto zero no mar. Um trabalho de muitos anos que fomos melhorando ao longo dos anos e, além de não poluir o mar, ainda revitalizamos lagoas que estavam ameaçadas pelas variações climáticas’, explicou o administrador da ACVPC, Jose Carlos.

O engenheiro civil, servidor da Secretaria de Meio Ambiente e Pesca, Bernardo Corty, que compõe a equipe, reconheceu que para a implantação do Bandeira Azul, a praia das Caravelas está em estágio mais avançado “em termos de infraestrutura, conservação, preservação e conscientização”. Mas explica que, “pela qualidade de água, fauna e flora, praias do Forno e Foca também estão bem cotadas”. Estas duas últimas praias são unidades de conservação, Parque Estadual da Costa do Sol e Parque Municipal da Lagoinha.

Bernardo também reforça que para conseguir o selo, “além do Poder Público, precisa que os atores privados e sociedade civil estejam juntas nesse trabalho com atividades de conscientização, reflorestamento e preservação”.

Na Caravelas essa ação conjunta já existe, realiza trilhas ecológicas conscientizando turistas e moradores, distribuindo material informativo sobre a localidade e importância da sua preservação, reciclagem do lixo do local e atividades de compostagem, replantio de mudas nativas, entre outras atividades há cerca de 25 anos.



Fonte:
Fonte Certa