Polícia Militar abre procedimento interno para apurar tiros em roda cultural no Manoel Corrêa

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


A Polícia Militar informou que um procedimento interno foi instaurado para apurar a ação de agentes da corporação durante uma roda cultural na praça do Manoel Corrêa, na noite desta quinta-feira (5). De forma truculenta, policiais militares interromperam o evento dando tiros para o alto e contra os presentes, inclusive crianças, e nos equipamentos de som. Imagens do ocorrido circularam nas redes sociais na manhã desta sexta-feira (6).


De acordo com nota enviada pela assessoria da  corporação, os envolvidos na ocorrência estão sendo ouvidos na sede do 25º Batalhão, no Jardim Caiçara. A ação foi duramente criticada por ativistas e integrantes de movimentos sociais. O vereador e ex-secretário municipal de Governo, Davi Souza, esteve no quartel da PM de Cabo Frio e entregou um ofício cobrando explicações do comando. 


A chegada dos PMs ao local do evento ocorreu por volta das 22h40. Com os tiros, houve pânico e correria. Segundo os organizadores, os PMs repetiam frases como “cultura é só na escola até as 18h da tarde”, “rap é coisa de vagabundo e maconheiro” e “lugar de criança é em casa e não na praça fazendo Rap”.


“Realmente, foi assim mesmo, ainda agrediu um rapaz que falava pra parar pois ali tinha crianças. E a filha dele estava presente. O polícial agrediu ele na frente de todos, atirando nos equipamentos sem necessidade, pois já estava desligado. E próximo aos equipamentos tinha pessoas e eles atiraram mesmo assim. Crianças estão em choque  E meu filho de 6 anos nem no banheiro quer ir sozinho pois ele viu tudo. Coisas que nunca tinha visto, polícia fazer isso com os civis”, disse Barbara Ketheryn Xavier Ramos, que presenciou a ação. 


 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.





Fonte: Folha dos Lagos