PM é indiciado por tentativa de homicídio qualificado por atirar contra grupo de amigos após discussão no trânsito em Rio das Ostras, no RJ | Região dos Lagos

0
31


Um policial militar, identificado como Carlos Hidelbrando Machado, foi indiciado por tentativa de homicídio qualificado por atirar contra um grupo de amigos após uma discussão no trânsito por volta das 23h do sábado (9), em Rio das Ostras, no interior do Rio. Uma jovem de 22 anos foi atingida de raspão na perna e um rapaz de 25 anos foi atingido por três tiros.

O rapaz, Mailton Joya, passou por uma cirurgia no domingo (10) e está em observação. Ele aguarda um novo procedimento no braço, que será realizado nesta quarta-feira (13).

A jovem atingida de raspão na perna, July Ferreira, conversou com o g1 e contou que o policial e uma mulher que estava com ele aparentavam estar transtornados. Ela disse que estava com outras duas amigas, de carro, voltando de um depósito de bebidas quando encontraram com o homem.

“Estávamos em uma festa de aniversário na casa do Mailton e fomos no depósito. Minha amiga estava dirigindo e, na volta, a rua é muito estreita e não tem espaço para dois carros passarem. Quando a gente tava quase chegando na casa do Mailton, demos de cara com o policial de carro, em uma caminhonete grande”, disse July.

Ela e as amigas estavam em um carro de passeio pequeno, que pertence a Mailton. July conta que a motorista esperou o policial voltar com o veículo para que elas pudessem passar, mas ele não voltou.

“A preferência da rua era nossa, mas ele ficou parado. Minha amiga gesticulou com o braço perguntando se ele ia voltar ou se ela voltaria. Enquanto ela dava a ré, ele avançou, totalmente enfurecido, e arrastou na lataria do carro. A gente desceu e tentou conversar com ele pra ver o que ia fazer”.

Uma das amigas foi até a casa do Mailton para chamá-lo.

“Ele se apresentou ao policial e disse que era dono do carro e já pegou o celular pra anotar o número dele. Nisso, a mulher do cara desceu do carro e já começou a falar muito perto do Mailton como se fosse avançar nele. Eles estavam muito alterados. Foi questão de minutos até a discussão ficar à flor da pele”, contou July.

De acordo com a jovem, o policial, conhecido na região como ‘Mancha’, deu um soco no rosto do rapaz, que revidou. Durante a briga, o policial sacou a arma.

July publicou nas redes sociais mensagem de forças para o amigo baleado em Rio das Ostras — Foto: Reprodução/Instagram

Ainda segundo ela, o rapaz tentou correr, mas o policial disparou pelo menos seis vezes. Três tiros atingiram Mailton e um acertou July na perna.

“O Mailton conseguiu correr até a casa dele e eu fui pra dentro do carro. A mulher que tava com o Mancha jogou minha amiga dentro do carro e começou a dar socos nela. Depois ela pegou um copo e quebrou o vidro do carro”.

A jovem conta que o policial e a mulher ainda ficaram no local por cerca de 5 minutos, depois foram embora.

Os feridos deram entrada na UPA de Rio das Ostras. Por conta dos ferimentos, Mailton foi transferido para um hospital em Macaé, onde passou por cirurgia.

O caso foi registrado na delegacia da cidade (128ª DP). O g1 não conseguiu localizar a defesa do policial citado.

Suspeitos ainda não se apresentaram

Segundo o delegado titular de Rio das Ostras, Ronaldo Cavalcante, até esta terça-feira (12) o policial não havia se apresentado na delegacia.

“Ele [policial] estava aparentemente embriagado e bateu no carro da moça. O rapaz saiu de casa pra ver o que era e eles entraram em uma confusão generalizada. Ele pegou a pistola, deu três tiros no rapaz e um na moça. Ele foi indiciado por tentativa homicídio qualificado. Estamos tentando ouvi-lo. Se não conseguir vamos pleitear uma medida cautelar para conseguir o feito”, disse o delegado.

O delegado disse, ainda, que a mulher que estava com o policial também vai responder pelo crime.

“Tanto o policial militar como a pessoa que estava com ele vão entrar como autores da tentativa de homicídio. Ela entra na condição de partícipe. Nós já fizemos diligências nos endereços registrados no sistema, mas não encontramos ninguém. Já há materialidades, os documentos médicos, as testemunhas são fortes neste sentido. Praticamente a investigação se encerra, mesmo que eles não compareçam para serem ouvidos”, completou Ronaldo Cavalcante.

PM investiga a conduta do militar

O g1 entrou em contato com a Polícia Militar e a Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informou que a 6ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM) acompanha a ocorrência envolvendo o policial militar.

A assessoria da PM não soube informar se o policial encontra-se afastado ou na ativa da corporação.



Fonte: G1