Paraenses da “Paidégua” querem o título do Aloha Spirit em Cabo Frio

0
373

De 22 a 24 de novembro (sexta a domingo), a Praia do Forte, em Cabo Frio, recebe a última etapa do ano do Aloha Spirit e nela a equipe paraense Canoa Paidégua lidera a categoria canoa overall masculina e quer ser campeã. “Participar do Aloha é um privilégio, uma oportunidade de estar em conexão com a comunidade de canoagem do Brasil, em harmonia, e apresentar o nosso va’a (canoa havaiana) de água doce da Amazônia, misturado com nossas raízes ribeirinhas”, comenta Igor Vianna, um dos coordenadores da equipe de Belém.

O primeiro desafio da equipe, assim como é em toda etapa nacional, é a viagem, como foi para Ilhabela, no litoral paulista, e Brasília, no Distrito Federal. Serão mais 3,2 mil quilômetros de viagem. Segundo Vianna, a equipe já está acostumada com essas longas distâncias e as viagens. “É um esforço gigantesco, porque qualquer local de prova fica de 2 mil a 3 mil km de distância da nossa casa, mas sempre chegamos com muita positividade, energia”, afirma.

Vianna ressalta que um dos sonhos dos praticantes do esporte no Pará é trazer para a Amazônia uma etapa ou um torneio de canoa havaiana. Vianna lembra que no Brasil o início da modalidade foi de forma tímida até se tornar a realidade de hoje em dia. “Quem sabe um dia o Aloha faz uma edição especial Amazônia? Remar com a gente nas águas barrentas do Rio Guamá, Baía do Guajará, ou mesmo nas águas esverdeadas do Tapajós lá em Alter do Chão? Eu entendo que o Aloha não começou com mais de 30 canoas alinhadas na largada, então podemos começar com 10 equipes aqui na Amazônia também”, almeja.

Criador do Aloha Spirit há onze anos, João Castro observa a competitividade da equipe paraense e do esporte no país. “Tenho muito orgulho de receber a equipe. Os caras viajam o Brasil praticamente para estar em todas as etapas do Aloha, sempre com grande grupo. Existem inúmeros eventos no país hoje, até mais próximos, que poderiam satisfazer essa necessidade de competir ou conhecer outros clubes, mas eles adotaram o Aloha Spirit”, comenta.

PAIDÉGUA

A equipe paraense foi criada no ano de 2016. A sua base fica na Marina Espaço Náutico, ao lado da Universidade Federal do Pará, e os treinos são realizados no Rio Guamá e na Baía do Guajará. Além de competições, os atletas da Paidégua também participam de expedições amazônicas pelos rios Tapajós e Amazonas. Os roteiros incluem visitas às comunidades ribeirinhas, trilhas em florestas nativas e vivências em rituais indígenas.

(Fonte: Diário OnLine)